sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Sem dinheiro para honrar com suas obrigações, o governo do RJ quer alugar jatinho

O cúmulo do absurdo, ou melhor, uma verdadeira falta de respeito e caráter do governo do Rio de Janeiro, que mesmo enfrentando sérias dificuldades financeiras e sem pagar os servidores há quase três meses, lançam um edital para contratar serviços de táxi aéreo estimados em 2,5 milhões para transportar o governador Luiz Fernando "Pezão" em suas viagens.

O edital que prevê um contrato de um ano, especifica que a aeronave deve ter capacidade para transportar seis passageiros e possuir autonomia de voo de três horas e meia, e não para por ai, os requisitos exigem banheiro, poltronas giratórias “para possíveis reuniões” e altura mínima da cabine de passageiros de 1,65m, “a fim de proporcionar os requisitos mínimos de conforto”.

Tal edital é um grande desrespeito ao povo do estado, o qual enfrenta a maior crise de todos os tempos, com serviços públicos seriamente comprometidos pela falta de recursos e o atraso nos salários dos servidores do estado.

O contrato para "táxi aéreo" tem um custo proibitivo na atual situação doas finanças do estado, e o valor a ser gasto daria para confortavelmente fazer mais de 90 viagens por mês á Brasília em linha aérea regular por um ano, o que demonstra o enorme descaso com os recursos públicos. 

Em nota, o governo do estado declarou que “é imprescindível garantir que os integrantes do Poder Executivo tenham flexibilidade de horários de voos e disponibilidade de aeronaves para deslocamentos de trabalho e emergências”. Parece ser piada, mas infelizmente não é.

O governo informou ainda que se não houver necessidade de usar todos os voos previstos no contrato, o estado vai pagar menos pelo serviço, e que a contratação é necessária porque terminou o contrato anterior, no valor 3,4 milhões.

Como é possível um absurdo desses? Infelizmente isso é a política no Brasil, e o pior é que os servidores e a população assiste a isso de braços cruzados...

GBN News - A informação começa aqui

0 comentários:

Postar um comentário