quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Detalhes sobre o MIG-21 sírio abatido por rebeldes

O GBN News ontem noticiou em primeira mão o abate de um MIG-21 sírio sobre o deserto de Al Badia, porém, ficamos sem detalhes sobre o ocorrido, tendo sido especulado que o mesmo poderia ter sido eventualmente vítima de aeronaves da coalizão liderada pelos EUA.

Mantendo nosso compromisso com nossos leitores, fomos atrás de mais detalhes sobre o ocorrido, e chegamos aos fatos detalhados do ocorrido. Segundo relataram os rebeldes sírios, a aeronave do governo legítimo da Síria abatida na última terça-feira (15) que resultou na captura de seu piloto no deserto ao sul na Síria, nas proximidades da fronteira com a Jordânia, onde recentemente houve um significativo avanço das tropas de Assad. As forças rebeldes derrubaram o MiG-21 próximo de Wadi Mahmud, 

"O piloto está em nossas mãos. Ele está ferido e sendo tratado", disse Munjed, porta voz do grupo rebede.

um monitor britânico do Observatório Sírio para os Direitos Humanos, confirmou que a facção rebelde havia derrubado realmente a aeronave e capturado seu piloto que se encontrava ferido.

A província de Sweida não foi incluída no acordo de cessar-fogo negociado entre os EUA e a Rússia que vigora nas áreas próximas desde julho.

Armamento empregado no abate do MIG-21
Dias após o acordo ter entrado em vigor, as forças rebeldes atingiram outro MIG-21 do governo sírio que realizava bombardeios sobre Kafr Nabuda na província de Hama, mas mesmo avariado conseguiu pousar com segurança em território controlado pelo governo mesmo após ser atingido por um míssil guiado por calor lançado por rebeldes, provavelmente um Stinger.

Munjed disse que seu grupo usou uma "arma antiaérea de 23 milímetros" para abater a aeronave ontem (15).

"Vamos tratar o piloto capturado de acordo com o direito internacional", disse Munjed.

A liderança do grupo rebelde ainda debate sobre o que fazer com piloto após o tratamento dele, disse.

No setor oriental da província de Sweida que faz fronteira com a Jordânia, onde o exército sírio apoiado por milícias treinadas pelo Irã, estabeleceu o controle na quinta-feira passada (10)  sobre os postos de controle da fronteira.

Os rebeldes  do FSA, apoiados pela Jordânia e a coalizão liderada pelos EUA dizem que a luta continua na área para tentar recuperar terreno perdido para o governo sírio.

Eles culparam as recentes perdas a repentina retirada de uma milícia tribal apoiada pela Jordânia, conhecida como Jaish al-Ashair, que patrulhava a área da fronteira. Isso permitiu ao exército do governo sírio conquistar os postos fronteiriços e estabelecer presença na faixa de fronteira abandonada nos primeiros anos do conflito.

GBN News - A informação começa aqui


0 comentários:

Postar um comentário