segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Coreia do Norte desenvolveu mísseis com motores da Ucrânia

A Coreia do Norte desenvolveu com rapidez mísseis que podem chegar aos Estados Unidos, provavelmente graças aos motores de design soviético produzidos em uma fábrica da Ucrânia e obtidos no mercado negro.
De acordo com Michael Elleman, do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS), os mísseis usados nos recentes testes realizados por Pyongyang tinham como base os motores RD-250 fabricados na cidade ucraniana de Dnipro.
O relatório assinala que esses motores podem ter sido vendidos por empregados corruptos e levados de contrabando para a Coreia do Norte por meio de redes criminosas, em algum momento entre o colapso da União Soviética e a atual crise militar ucraniana.
O governo ucraniano e a empresa reagiram com irritação a essa versão divulgada pelo jornal The New York Times, insistindo em que a fábrica Yuzmash não produz foguetes de uso militar desde a independência da Ucrânia da antiga União Soviética e que não tem vínculos com o programa de mísseis nucleares da Coreia do Norte.
O documento do IISS não contradiz essas explicações, sugerindo que os motores dos mísseis estavam armazenados no que agora é a Rússia, ou na Ucrânia, desde o fim da União Soviética.
"Um pequeno grupo de empregados descontentes, ou guardas mal pagos, pode ter roubado dezenas de artefatos para alguns dos muitos traficantes de armas, contrabandistas que operavam na antiga União Soviética", afirma o relatório, que enfatiza não sugerir que o governo ucraniano, ou os executivos da Yuzmash, estivessem envolvidos.
O secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrâni, Oleksandr Turchynov, aproveitou o informe para atacar Moscou.
"Acreditamos que esta campanha contra a Ucrânia tenha sido provocada pelos serviços especiais russos para ocultar sua participação nos programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte", alfinetou.

Fonte: AFP

0 comentários:

Postar um comentário