sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Japão estuda medidas sob ameaça de ataque norte-coreano no pacífico

O governo japonês está considerando a possibilidade de implantar os sistemas de defesa aérea Patriot PAC-3 em três de suas cidades e enviar navios com o sistema Aegis para o Oceano Pacífico devido as advertências da Coréia do Norte sobre um possível lançamento de mísseis em direção ao território da ilha de Guam, Disse o jornal Yomiuri nesta sexta-feira (11).

O Japão conta com um sistema de duas camadas em suas defesas de mísseis. Quatro destroyers da Classe "Kongo" e dois "Atago" estão equipados com mísseis Aegis SM-3, projetados para engajar mísseis na fase de meio curso. Se esse sistema falhar, três batalhões de mísseis terrestres Patriot interceptará mísseis durante a fase terminal.

Após os anúncios de Pyongyang que planeja o lançamento de quatro mísseis Hwasong-12 que voariam no espaço aéreo japonês e atingirão Guam a cerca de 30-40 km, o governo japonês pode enviar os destroyers equipados com Aegis para o Oceano Pacífico, enquanto Patriot PAC-3 terrestre permanecerão alertas ao longo do trajeto dos mísseis se o lançamento da Coreia do Norte falhar, informou Yomiuri.

Quando perguntado sobre a possibilidade de implantar sistemas de defesa de mísseis em Kochi, Shimane e Hiroshima, o ministro japonês da Defesa, Itsunori Onodera, disse a repórteres na quinta-feira (10) que "o Ministério da Defesa e as Forças de Autodefesa tomarão as medidas necessárias, levando em consideração vários fatores "Ele não deu mais detalhes.

Anteriormente, o ministro disse que a intercepção de um míssil balístico norte-coreano era possível se três condições fossem atendidas: o lançamento deveria representar uma ameaça direta ao país, não deveria haver outras opções e a quantidade mínima exigida de força é usada.

A Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA) informou na quinta-feira (10) que o Exército Popular coreano está elaborando um plano para um ataque de míssil preventivo contra as instalações militares dos EUA em Guam, incluindo a Base da Força Aérea de Andersen, onde bombardeiros estratégicos B-52 são baseados. O presidente dos EUA, Donald Trump Trump, disse aos jornalistas que a Coréia do Norte não deveria ameaçar os EUA e seus aliados, prometendo que as ameaças de Pyongyang "serão respondidas com fogo e a fúria como nunca viu o mundo".

Mais tarde, o KCNA divulgou detalhes do plano, que deverá ser finalizado até meados de agosto. De acordo com a agência, Pyongyang planeja lançar quatro mísseis balísticos de alcance intermediário Hwasong-12, que deveriam voar cerca de 3.400 quilômetros sobre as cidades japonesas de Shimane, Hiroshima e Kochi para cair há uns 30-40 quilômetros em Guam.



GBN News - A informação começa aqui
com agências

0 comentários:

Postar um comentário