segunda-feira, 3 de julho de 2017

Sérvia busca aumentar capacidade de defesa

Após mais de uma década desde que sofreu o último bombardeio lançado pela OTAN, a Sérvia, hoje nação consolidada após um sangrento conflito étnico decorrido nos anos 90, que custou a vida de milhares de inocentes durante o mais sangrento conflito em solo europeu após o fim da Segunda Guerra Mundial, com a ruptura do que um dia foi da Iugoslávia. A Sérvia busca retomar sua capacidade de defesa, diante deste objetivo, a Sérvia tem investido na aquisição de materiais de defesa de origem russa.

O presidente sérvio, Aleksandar Vucic, declarou que a aquisição dos equipamentos russos são indispensáveis para aumentar a capacidade defensiva da Sérvia.

O governo sérvio espera em breve receber a entrega de um lote de blindados e viaturas de reconhecimento comprados junto á Rússia, atualmente sua principal fornecedora de material de defesa, o que garantirá ao seu exército meios modernos e capazes de garantir a eficiência de sua defesa.

Hoje a defesa sérvia se vê defasada e com número insuficiente de meios e tecnologias para garantir sua soberania. Apesar de sua industria de defesa estar caminhado a passos largos na última década, buscando diminuir o GAP tecnológico que a mesma sofre desde o conflito dos anos 90, a Yugoimport, conglomerado de defesa que produz diversos tipos de armamentos e veículos, ainda esta longe de oferecer sistemas com capacidade de atender plenamente as necessidades sérvias, possuindo ao menos 20 anos de atraso em relação as indústrias de defesa de primeira linha, embora possua muitas "ilhas de excelência

A Sérvia hoje conta com uma força aérea muito limitada, composta por 4 aeronaves Mig-29 de origem russa, aos quais em breve deve se juntar mais 6 aeronaves em breve. Seus sistemas de defesa aérea são considerados obsoletos, o que deve mudar com a chegada de novos meios oriundos de contratos firmados com a Rosoboronexport.


Mas o presidente sérvio tem demonstrado otimismo: "Falando com relação ao complexo militar-industrial, estamos atrasados uns 20 ou 30 anos, comparando tanto com o Ocidente como com a Rússia. Porém, estamos tentando reduzir este atraso", confessou.

O presidente sérvio ressaltou que o país continuará seguindo os princípios de neutralidade e independência. Afirmando: "Isso não será fácil. A luta é travada todos os dias. Mas os governos anteriores enviavam sua agenda às embaixadas estrangeiras para confirmação e depois a recebiam por telefone. Hoje em dia, a Sérvia deixou de ser governada por estrangeiros ", expressou

A Sérvia participou da última edição da LAAD 2017, com a Yugoimport presente com um stand onde foi possível conhecer um pouco do material de defesa que o conglomerado tem desenvolvido no país, objeto de uma futura matéria aqui no GBN News.

GBN seu canal de informação e notícias

0 comentários:

Postar um comentário