segunda-feira, 3 de julho de 2017

Brasil opta por mais 60 M109-A5 dos estoques americanos, boa opção?

Esta última semana o Exército Brasileiro publicou a ordem de aquisição via FMS de 60 viaturas M109 A5 oriundos dos estoques americanos, sendo esta a segunda compra, lembrando que em 2012 o Exército Brasileiro adquiriu outras 40 viaturas do tipo, das quais 32 serão modernizadas pela BAe Systems, sendo as 8 restantes utilizadas como fontes de componentes para a frota em a entrar em operação, assim modernizando sua artilharia autopropulsada, que até então opera M-109 A3. 

Voltando um pouco no tempo, na década de 90 o Exército Brasileiro realizou uma extensa modernização em seu inventário de viaturas blindadas, ocasião na qual muitos criticam a opção brasileira de adquirir MBT's Leopard 1A1 e M60 A3 TTS ao invés de investir no MBT brasileiro EE-T1 "Osório" da ENGESA.

Nesta ocasião viu-se a necessidade de modernizar a Artilharia de Campanha, a qual operava desde a década de 70 com obuseiros autopropulsados M108 AP de 105mm, então o Exército Brasileiro veio a realizar a aquisição de  M 109 A3, uma das plataformas de Artilharia mais tradicionais e bem sucedidas do Mundo, uma vez que tentativas de se modernizar os vetustos M108 AP para um padrão similar aos  M109 A2 foi proibitivo do ponto de vista orçamentário.

O Exército Brasileiro, que passou a operar com as viaturas M109 A3 em 2000, contando com 37 destas viaturas oriundas do Exército Belga e modernizadas pela SABIEX INTERNATIONAL S/A entre 1999 e 2001.

Então voltando aos tempos atuais, o EB com a aquisição de um lote de 40 viaturas M-109 A5 via FMS, viaturas as quais 32 unidades passarão por uma extensa modernização, onde serão agregados diversos sistemas e características da versão M109 A6.

M-108 AP do Exército Brasileiro

Esta segunda aquisição, que compreende um lote de 60 viaturas, das quais ainda não temos a informação de quantas serão destinadas a operação, estima-se que grande parte venha a sofre um programa extenso de modernização ao longo dos anos, afim de compatibilizar com as 32 viaturas em processo de modernização que serão incorporadas ao EB como M109 A5+ (PLUS) BR. Dentre oo focos desta nova aquisição, podemos ressaltar o intuito do EB em aumentar o número de obuseiros M109 em operação na sua artilharia de campanha, padronizando a mesmo com o calibre 155 mm, o que irá possibilitar o início do processo de aposentadoria dos obuses M108 AP ainda em uso, armamento que podemos classificar como obsoleto, utilizando o calibre 105mm, em desuso para a Artilharia Autopropulsada em grande parte das forças ao redor do mundo.

Apesar de muitos "críticos" e especialistas de "super trunfo" apontarem a nova aquisição do EB como uma compra de "sucata" em diversos fóruns de discussão, a Artilharia de Campanha inicia um exitoso momento de modernidade, onde poderá se igualar em qualidade e capacidade de meios aos encontrados nas melhores Artilharias de Campanha em operação hoje no mundo. 

O contrato estabelecido entre o Exército Brasileiro e a BAE Systems, prevê uma extensa modernização das viaturas, onde será realizada uma extensa repotencialização dos chassis, que deverão receber novo conjunto de motor, com substituição do conjunto motor/transmissão e reforma da estrutura das viaturas. Os canos da viatura foram inspecionado e não haverá necessidade de substituição, onde os mesmo irão passar por um processo de recuperação das especificações originais. Quanto aos sistemas de navegação e tiro, toda suíte analógica será substituída por uma moderna suíte digital, o que elevará os M109 A5+ (Plus) do Exército Brasileiro ao mesmo nível técnico que os M-109 A6 norte americanos.

Embora não se possa afirmar que a versão Plus eleve os M-109 A5 a classificação de A6, o mesmo irá incorporá diversos elementos e sistemas presentes na versão A6 em uso no US Army, o que irá aumentar sobremaneira o desempenho desta viatura, com uma significativa redução no tempo de resposta, possibilitando um rápido posicionamento, engajamento e disparo, com uma rápida evasão do local de disparo, algo que reduz sobremaneira a vulnerabilidade da viatura em combate.

Outra novidade é a instalação da trava automática do canhão para o deslocamento, tornando desnecessário o desembarque de um tripulante para o travamento do mesmo.

Avaliando com base em informações técnicas, as quais tivemos acesso durante a LAAD 2017, onde a BAe apresentou o programa de modernização das viaturas M-109 A5 + (PLUS) BR, não nos resta dúvida de que a inclusão do M109 A5 + BR ao inventário do Exército Brasileiro representa um enorme ganho em capacitação, além de representar um custo muito atraente em sua aquisição, mesmo incluindo a este o valor a ser gasto para sua modernização.



GBN seu canal de informação e notícias

1 comentários:

presentinho para os mi
licos ficarem quietinhos nos quartéis

Postar um comentário