quarta-feira, 26 de julho de 2017

Irã irá fortalecer capacidades de defesa em resposta á sanções dos EUA

O Irã está acostumado a viver com as sanções dos EUA e continuará a desenvolver suas capacidades de defesa em resposta à última rodada de sanções aprovada pelos legisladores de Washington, disse o presidente Hassan Rouhani a seu gabinete.

"Tomaremos qualquer passo que julgarmos necessário em consonância com os interesses do nosso país, e continuaremos nosso caminho sem prestar atenção às suas sanções e políticas", disse o presidente iraniano á imprensa.

Rouhani acrescentou que o Irã continuará seu desenvolvimento militar apesar da pressão de qualquer país estrangeiro.

"Devemos sempre fortalecer nossa defesa e fortaleceremos todas as nossas armas defensivas, independentemente da opinião dos outros", disse Rouhani.

As declarações do presidente iraniano vem depois que os EUA após uma esmagadora maioria em votação no congresso, aprovou impor novas sanções contra a Coréia do Norte, o Irã e a Rússia. No Irã, foram apontadas 18 organizações e indivíduos ligados ao programa nacional de foguetes, compras militares e ao Corpo da Guarda da Revolução Islâmica.

O Irã e os EUA viram sinais breves de um descongelamento nas relações depois que Teerã e seis potências mundiais, incluindo os EUA, assinaram um acordo que restringe a pesquisa nuclear do Irã em troca da suspensão das sanções internacionais em 2015.

As relações já voltaram à sua habitual hostilidade, no entanto, a coisa se agravou sob o presidente Donald Trump, que repetidamente acusou Teerã de violar os termos do acordo, que ele marcou como "pior caso".

Trump, no entanto, não chegou a afirmar que esta era a posição oficial de sua administração quando ele certificou ao Congresso no início deste mês que Teerã não quebrou os termos do acordo. Mas esta semana ele disse ao Wall Street Journal que sua decisão pode ser diferente da próxima vez e que ele deve atualizar os legisladores sobre o assunto.

O presidente dos EUA ainda não assinou o projeto de lei das sanções, com funcionários da Casa Branca enviando sinais mistos sobre se ele faria isso ou não. O apoio a legislação no Congresso seria suficiente para superar um hipotético veto do Trump.

GBN News - A informação começa aqui
com agências

0 comentários:

Postar um comentário