quinta-feira, 13 de julho de 2017

Aviação militar alemã em alerta contra ataques hackers

O exército da Alemanha está lançando uma nova "experiência cibernética na aviação" como uma medida urgente em resposta a uma pesquisa financiada pelo governo revelando que os hackers poderiam apoderar-se do comando de uma aeronave militar com equipamentos que valem milhares de dólares e causar danos incalculáveis.

A nova iniciativa, impulsionada pelo chefe da Autoridade de Aviação Militar da Alemanha, o major-geral Ansgar Rieks, equipará aeronaves militares com sistemas de proteção para evitar potenciais ataques cibernéticos. Além disso, o governo vai investir em pesquisas técnicas e aumentar a conscientização sobre a ameaça à segurança da aviação decorrente de operações de hacking, de acordo com o porta-voz do Ministério da Defesa da Alemanha.

Rieks apresentou a proposta depois de ter sido informado pelo Centro Aeroespacial Alemão (DLR), que é a autoridade estatal da Alemanha para pesquisa aeroespacial, energia e transporte, que não demora muito para se infiltrar no sistema das aeronaves militares e assumir o controle do avião .

O DLR teria realizado uma demonstração mostrando que os hackers hostis precisariam de equipamentos no valor de 5.700 dólares para perpetrar um ataque que perturba as operações de uma aeronave militar. A revelação atingiu Rieks, que disse que um prospectivo desse acontecimento na vida real é "assustador" e que permanecer ocioso diante do desafio "equivaleria a negligência grave".

Falando em uma conferência de segurança em Bueckenburg, Rieks pediu aos militares que não limitassem sua preocupação com a segurança da aviação para evitar problemas técnicos que possam ocorrer no software instalado a bordo. Dado os crescentes riscos colocados pelo cibercrime, ele disse que não se deve fechar a visão sobre a possibilidade de um ataque cibernético hostil na infraestrutura da aviação e "garantir que as aeronaves não possam ser retiradas do solo ou que seja possível sua tomada no ar".

Enquanto isso, o Ministério da Defesa alemão já expressou apoio para o estabelecimento de uma nova iniciativa de segurança da aviação, disse o porta-voz, segundo a publicou a Reuters.

A Alemanha tem estado na vanguarda da luta contra o cibercrime na Europa. Em abril, inaugurou um comando cibernético em Bonn, tornando-se o primeiro membro da OTAN a criar uma unidade cibernética "autônoma" . O comando tornou-se oficialmente o quinto ramo da Bundeswehr a par com o exército, a marinha, a força aérea e o serviço médico.

O novo Centro de Ciber e Espaço de Informação (CIR) foi encarregado de lidar com ataques cibernéticos visando as principais infraestruturas de TI militares da Alemanha e os sistemas de armas assistidos por computador. Espera-se que o centro possa empregar até 13.500 funcionários militares e civis, uma vez que este opera a plena capacidade.

"Se as redes dos militares alemães forem atacadas, então podemos nos defender. Assim que um ataque põe em perigo a prontidão funcional e operacional das forças de combate, podemos responder com medidas ofensivas ", disse a ministra da Defesa Ursula von der Leyen, falando na cerimônia de abertura. O centro está programado para se preparar para o combate até 2021.

O centro participaria no desenvolvimento da mais recente iniciativa de segurança cibernética da aviação, sendo pioneiro no mundo.

GBN News - A informação começa aqui
com agências

0 comentários:

Postar um comentário