terça-feira, 7 de junho de 2016

Porque a Rússia não bombardeia o EI no Iraque?

O embaixador da Rússia no Iraque, Iliá Morgunov, disse que as autoridades iraquianas não solicitaram ajuda militar para combater o EI.

"O nível atual de cooperação militar (com a Rússia) satisfaz o Iraque", disse, referindo que os iraquianos não irão abrir mão da ajuda russa na luta contra o grupo terrorista Daesh em determinadas circunstâncias.

Uma das principais ameaças à segurança global, o Daesh (o autodenominado Estado Islâmico, proibido na Rússia e em vários outros países), durante um período de três anos conseguiu capturar grandes zonas do Iraque e Síria, algumas das quais se conseguiu libertar nos últimos meses.

Conforme diferentes avaliações, a quantidade dos combatentes é estimada entre 50.000 e 200.000 e as zonas controladas pelo Daesh alcançam os 90.000 quilômetros quadrados.

Moscou está disposto a fornecer todas as armas necessárias às FFAA iraquianas para lutar contra o Daesh, disse o diplomata.

Por enquanto não existe uma frente unida para a luta contra o grupo jihadista, já que contra o Daesh lutam as forças do governo Sírio, apoiadas pela aviação russa, o exército iraquiano, a aliança internacional liderada pelos EUA, juntamente com os curdos e as milícias xiitas do Iraque e Líbano.

Os EUA, assim como os seus aliados, estão desenvolvendo uma operação contra o Daesh na Síria e no Iraque desde 2014.


Fonte: Sputnik News

0 comentários:

Postar um comentário