sábado, 25 de junho de 2016

Marinha Italiana revela detalhes sobre nova classe de navios


A Marinha italiana lançou novos detalhes sobre os sete novos navios multifuncionais que se destinam a concluir o projeto SDR até o final de junho.

Os projetistas adotaram a utilização de um kit de vidro para os navegadores sobre a ponte, eles também optaram por chamar de arco de onda, recurso com o qual é esperado adicionar quase um nó na velocidade.

Com os contratos assinados no ano passado graças a um pacote de financiamento de 5,4 bilhões de euros (cerca de 6,1 bilhões de dólares), a Marinha espera agora está no caminho para ter seus sete novos navios, esta nova classe terá o deslocamento de 4.500 toneladas, cumprimento de 133 metros e deverão ser entregues entre 2021 e 2026.

Concebido pelo próprio escritório de design da Marinha, serão dadas as embarcações capacidades de operações dual, tendo capacidades para atuar em operações de ajuda humanitária e civis, ou na intercepção de imigrantes no Mediterrâneo, assim como em conflitos armados.

O SDR está previsto para ser concluído até o final deste mês, com alguns ajustes sobre as opções do grupo de geradores a ser efetivada, uma revisão crítica do projeto está prevista para fevereiro, segundo uma fonte da defesa italiana.

Antes disso, o corte de aço do primeiro navio pelo estaleiro estatal Fincantieri é esperado no Outono.

Enquanto isso, a Marinha este mês produziu um especial com detalhes do desenho dos navios, denominados PPA, começando com uma saliência afiada incomum fora da proa perto do nível da água.

"Esta estende simplesmente o comprimento da embarcação na linha d'água, melhorando a resistência sem aumentar as dimensões do navio," disse a fonte. "Esta técnica é usada pela primeira vez para um navio militar."

A técnica foi desenvolvida pela Fincantieri e usada pela primeira vez em uma balsa sueca que a empresa construiu, de acordo com Rivista Italiana Difesa.

A Fincantieri irá construir dois navios na configuração "Leve", três na configuração "Leve Plus" e dois em configuração "Full", com os preços, incluindo dez anos de apoio logístico variando de cerca de 430 milhões de euros para as versões Leve para 530 milhões nas versões completas.

Todos os navios contarão com canhões Leonardo-Finmeccanica de 127 milímetros e 76mm, bem como armamento de 25 mm e 12,7 mm. Para abrigar os canhões de 76mm voltados para trás em cima do hangar, o grupo italiano desenvolveu uma versão mais leve do seu modelo padrão, conhecido como o Sovraponte.

A versão Plus e as versões completas irão dispor de sistemas de mísseis Aster 15 e 30.

Os navios na sua versão leve plus vão ser equipados com sistemas de radar X-band AESA, que usa quatro painéis planos, dando uma visão de 360 ​​graus alojados acima da ponte. Os navios leves usarão um radar de banda C, enquanto a versão completa vai usar tanto os radares C-Band e X-band, exigindo oito painéis para produzir uma única imagem de radar integrada.

Muito tem sido feito na ponte, uma verdadeira inovação, que foi concebida com a ajuda de aviadores navais para obter a semelhança com a cabine de uma aeronave. Na ponte, dois navegadores vão sentar-se em uma parte saliente semelhante a uma cabine, fazendo o trabalho que oito navegadores fazem nas fragatas FREMM da Itália, disse a fonte.

Estudos estão em andamento para replicar o heads-up display de uma aeronave em que os dados podem ser projetados sobre as janelas da ponte para os dois navegadores, indicando, por exemplo, a profundidade da água que pode ser verificada através das janelas.

Outro plano é desenvolver óculos ligados a câmeras externas, o que permitiria aos navegadores ter uma vista de 360 ​​graus do lado de fora do navio.

"Este tipo de estudo provavelmente vai continuar além da revisão crítica do projeto no próximo ano", disse a fonte.



GBN seu canal de informações e notícias
com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário