sábado, 11 de junho de 2016

MC-21 é apresentado na Sibéria e afronta Boeing e Airbus

O MC-21, um avião que promete ser mais veloz e voar mais longe que seus rivais, é a grande aposta da Rússia para recuperar terreno perdido no mercado da aviação civil.
Rival do Boeing 737 e do A-320 no mercado interno, modelo já tem 175 unidades encomendadas. Produção em larga escala será iniciada em 2017.

O novo avião de passageiros, MC-21 (sigla em russo para ‘aeronaves de longo curso do século 21’), foi apresentado esta semana na cidade siberiana de Irkutsk, a cerimônia foi marcada pela presença do primeiro-ministro, Dimitri MedvedevA aeronave azul e branca é fabricada pela empresa aeroespacial estatal Irkut e é nada menos que o primeiro avião de passageiros de média capacidade desenvolvido pela Rússia no século 21.
"É uma grande vitória da nossa indústria de aviação e de nossos cientistas, engenheiros e trabalhadores", disse Medvedev.

O modelo foi desenvolvido como um análogo comercialmente viável e para produção em massa de outro destaque da atual aviação civil russa, o Superjet, da Sukhoi.
O MC-21 está programado para substituir os modelos Tu-204 e Tu-154B/M no mercado russo, assim como os seus rivais ocidentais mais vendidos, o Boeing 737 e o Airbus A-320.
Autonomia de 6 mil quilômetros
Assim como seus rivais diretos no segmento de mercado - o Boeing 737 e o Airbus 320 -, o MC-21 é movido por duas turbinas e tem fuselagem de corredor único. Pode cobrir distâncias de até 6 mil km, autonomia maior que a do Boeing 737, mas menor que a do Airbus 320 (6,4 mil km).
Dependendo do modelo, poderá transportar entre 165 e 211 passageiros.
Segundo a Irkut, a aeronave será até 15% mais eficiente que os rivais e terá custos operacionais 20% menores. Cada unidade será vendida a US$ 35 milhões, quase três vezes menos que um Airbus e quase metade do preço de um Boeing 737.
Medvedev afirmou que o novo avião, que ainda está em fase de testes e só deverá ser comercializado a partir de 2018, será "confiável e eficiente". O premiê disse estar convencido de que o MC-21 ajudará a Rússia a quebrar o duopólio da americana Boeing e da anglo-francesa Airbus no setor.
A Rússia também espera reduzir a dependência de sua própria frota destes modelos.
O MC-21 substituirá os antigos modelos da era soviética, incluindo o Tupolev Tu-204 e o Yak-40. A nova aeronave está sendo construída com base em uma liga de alumínio e titânio, que reduz seu peso e o consumo de combustível.

A empresa já tem contratos para fornecimento de 175 aviões, incluindo à companhia aérea nacional da Rússia, Aeroflot, que se tornou seu primeiro cliente ao adquirir 50 unidades.
Os testes de voo serão iniciados no final de 2016, com expectativa do inicio da produção em larga escala a partir de 2017. De 2020 em adiante, a Irkut Corporation espera fabricar anualmente cerca de 30 aeronaves MC-21.
Apesar do discuso ufanista russo, pelo menos um terço das peças do MC-21 são fabricadas no exterior. Alguns modelos terão motores russos, ainda em desenvolvimento, ao passo que outros usarão propulsores da marca americana Pratt & Whitney.

Uma comparação entre os três aviões:

MC-21

  • Fabricante: Irkut Corporation (Rússia)
  • Quantidade máxima de passageiros: 211
  • Autonomia: 5.500 - 6.000 km
  • Primeiro voo: 2018 (previsão)


Airbus 320

  • Fabricante: Airbus (França - Reino Unido)
  • Quantidade máxima de passageiros: 189
  • Autonomia: 6.480 km
  • Primeiro voo: 1987


Boeing 737

  • Fabricante: Boeing (EUA)
  • Quantidade máxima de passageiros: 186
  • Autonomia4.600 km
  • Primeiro voo: 1967



Fonte: Gazeta Russa / BBC Brasil

0 comentários:

Postar um comentário