sexta-feira, 3 de junho de 2016

Mais de 1 mil soldados iraquianos ficam feridos em Faluja

Mais de 1.000 membros das forças iraquianas foram feridos desde 23 de maio na ofensiva em Faluja contra o grupo Estado Islâmico (EI), informou nesta sexta-feira (3) uma autoridade dos serviços de saúde.
Forças iraquianas tentam recuperar controle da cidade em poder do EI (Foto: AHMAD AL-RUBAYE/AFP)Forças iraquianas tentam recuperar controle da cidade em poder do EI (Foto: AHMAD AL-RUBAYE/AFP)
O funcionário não foi capaz de comunicar o número de soldados mortos, uma vez que os corpos são enviados diretamente aos necrotérios, onde são recuperados pelas famílias para serem rapidamente enterrados.
O comando militar da operação não revelou, por sua vez, qualquer perda.
"Recebemos 1.119 feridos desde o início da operação", declarou à AFP um funcionário da Saúde em Bagdá. Eles são tratados em vários hospitais, incluindo nos de Abu Ghraib e Yarmouk.
Os feridos incluem membros do exército, da polícia, dos serviços antiterroristas e das unidades paramilitares dos Hached al-Chaabi (mobilização popular) - constituídas por milícias xiitas, principalmente próximas do Irã - que participam da operação para recuperar Fallujah dos extremistas do EI.
Embora o número de mortos não tenha sido divulgado, o grande número de funerais realizados no país sugere perdas elevadas. Pelo menos 70 caixões de combatentes mortos em Fallujah foram levados para o cemitério de Najaf, onde muitas famílias xiitas enterram seus mortos, de acordo com uma fonte da segurança.
Além disso, 26 combatentes da Mobilização popular da província de Basra (sul) foram mortos, de acordo com autoridades provinciais.
As forças iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos enfrentam grande resistência de centenas de extremistas após terem entrado na segunda-feira na cidade nas mãos do EI desde janeiro de 2014.
Fonte: AFP via G1

0 comentários:

Postar um comentário