quarta-feira, 11 de outubro de 2017

China envia fragata e aeronaves para interceptar DDG norte americano

A China enviou uma fragata de mísseis guiados, duas aeronaves de combate e um helicóptero para alertar o USS Chafee que navegava perto das ilhas disputadas no Mar da China Meridional, acusando os EUA de prejudicar a soberania e os interesses de segurança do país na região.
Pequim condenou a missão do DDG de mísseis guiados USS Chafee, que na terça-feira (10) navegou a menos de 16 milhas náuticas das ilhas Paracel no Mar do Sul da China, no âmbito da chamada operação "liberdade de navegação" .
"Em face da provocação repetida das forças dos EUA, os militares chineses fortalecerão ainda mais a preparação para o combate no mar e no ar e melhorarão as defesas para defender resolutamente a soberania nacional e os interesses de segurança", disse o Ministério da Defesa da China em um comunicado, que foi divulgado pelo jornal South China Morning Post.
A fragata do tipo 054A "Huangshan", duas aeronaves J-11B e um helicóptero Z-8 foram enviados para identificar o navio dos EUA e fazê-lo sair da área.
O incidente com o USS Chafee afetou a confiança entre os militares dos dois países, afirmou o ministro, acrescentando que outras operações dessa natureza podem desencadear "incidentes indesejados".
O Ministério das Relações Exteriores da China também exortou os EUA a "respeitar a soberania e a segurança" do país e parar tais "atos errôneos".
"O comportamento do DDG dos EUA violou a lei chinesa e o direito internacional, prejudicou gravemente a soberania e os interesses de segurança da China e ameaçou a vida do pessoal militar de ambos os lados", disse a porta voz do ministério, Hua Chunying, em uma entrevista coletiva.
O USS Chafee, no entanto, não violou os limites territoriais de 12 milhas náuticas das ilhas, de acordo com um relatório da Reuters, citando militares dos EUA. A missão foi realizada para desafiar as "reivindicações marítimas" na região, de acordo com os militares.
Os navios dos EUA navegaram repetidamente próximos as ilhas disputadas no Mar da China Meridional, provocando uma reação irritada da China. Pequim acusa os EUA de violar sua soberania, enquanto Washington afirma que as missões apoiam a "liberdade de navegação" na região.
Pequenas ilhotas desabitadas no rico mar da China são disputadas por várias nações. O arquipélago de Paracel é reivindicado pela China, Taiwan e Vietnã, enquanto as ilhas Spratly são contestadas pelas Filipinas, Malásia e Brunei.

GBN News - A informação começa aqui
com agências

0 comentários:

Postar um comentário