sábado, 21 de outubro de 2017

Bagdá recupera último setor controlado pelos curdos na província de Kirkuk

As forças iraquianas retomaram dos combatentes curdos a última zona que eles controlavam na província de Kirkuk, após intensos combates.
O Comando Conjunto das Operações (JOC), que reúne o conjunto das forças iraquianas, anunciou na sexta-feira à noite a "retomada do controle de Altun Kupri", um aglomerado de 36 vilarejos que se estende por 530 km² e habitados por uma população mista de 56.000 curdos e turcomanos.
Esta zona agrícola é estratégica por estar localizada entre as cidades de Kirkuk e Erbil (50 km), no limite entre as duas províncias. A primeira está sob a autoridade constitucional de Bagdá e a segunda sob o domínio das autoridades do Curdistão iraquiano, que beneficia desde 1991 de uma autonomia, ampliada em 2005.
É por esta zona que transitam mercadorias e turistas entre o Curdistão e o resto do território iraquiano.
Neste contexto, os Estados Unidos pediram às forças federais iraquianas que limitem seus "movimentos" nas áreas disputadas com os curdos para evitar mais violência.
Tanto as forças iraquianas quanto as curdas foram aliadas-chave dos Estados Unidos na guerra contra o Estado Islâmico (EI), mas esse inimigo extremista comum não apagou as disputas territoriais e financeiras de longa data entre as duas partes.
"Para evitar qualquer mal-entendido, ou novos confrontos, exortamos o governo central a acalmar a situação, limitando os movimentos das forças federais nas áreas disputadas apenas ao acertado com o Governo Regional do Curdistão", disse a porta-voz do Departamento de Estado americano, Heather Nauert.
Os Estados Unidos também instam "todas as partes a acabarem com toda violência e movimentos provocadores e a coordenarem suas atividades para restabelecer a calma", acrescentou a porta-voz.
As forças curdas iraquianas obtiveram, ou consolidaram seu controle sobre várias áreas disputadas durante a guerra de três anos contra o EI, que viu as tropas iraquianas fugirem de seus postos no norte durante a ofensiva extremista inicial em 2014.
Um referendo não vinculativo sobre a independência, celebrado pelos curdos no mês passado, e a redução das principais operações contra o EI deram a desculpa e a oportunidade para que Bagdá recuperasse territórios perdidos.
Washington se opôs ao referendo de independência, assim como Bagdá e vários estados vizinhos.
Embora pareça provável que os Estados Unidos tenham dado pelo menos um aceite tácito à operação iraquiana, a declaração de Nauert também deixou claro que o renovado controle das forças federais sobre territórios em disputa não dá por encerrado o debate sobre o status dessas áreas.
"A reafirmação da autoridade federal sobre as áreas em disputa de modo algum muda seu status. Continuam sendo disputadas até que seu status se resolva, de acordo com a Constituição iraquiana", disse Nauert.

Fonte: AFP

0 comentários:

Postar um comentário