segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Ataque em Las Vegas: o que se sabe sobre o mais letal tiroteio da história dos EUA

Pelo menos 58 pessoas morreram e ao menos 515 ficaram feridas em um tiroteio durante um show em Las Vegas. Trata-se do mais letal ataque deste tipo na história moderna dos EUA, de acordo com a polícia. Mais de 22 mil estavam no festival no momento dos disparos.
Um atirador abriu fogo na plateia de um festival de música de dentro do hotel Mandalay Bay. A polícia informou que ele estava no 32° andar.
Os policiais usaram explosivos para derrubar a porta do quarto onde o homem estava. O atirador se suicidou. Fontes da polícia disseram à imprensa americana que uma "grande quantidade" de armas foi encontrada no quarto.
Segundo o xerife de Las Vegas, Joe Lombardo, acredita-se que o autor dos disparos agiu como "lobo solitário" - como são chamados os ataques planejados e executados individualmente.
Gráfico sobre tiroteios nos Estados Unidos
Image captionAtaque a tiros em Las Vegas é o mais letal da história dos Estados Unidos
O som do que parecia ser prolongados disparos de arma automática foi registrado em vídeos amadores publicados nas redes sociais.
A polícia anunciou que o atirador era Stephen Paddock, um homem branco de 64 anos que não tem passagens pelas Forças Armadas ou antecedentes criminais. Episódios similares já foram protagonizados por ex-militares.
Paddock foi identificado como morador da cidade de Mesquite, a 130 km de Las Vegas. Mas a polícia informou que ele estava hospedado no Mandalay Bay desde quinta-feira.
O grupo autointitulado Estado islâmico divulgou um comunicado por meio de sua da agência de notícias afirmando que estava por trás do ataque. O FBI (polícia federal americana), porém, informou que Paddock não tem nenhuma conexão com o grupo ou qualquer outra "organização terrorista internacional".
O Centro Médico Universitário, um dos hospitais que receberam feridos, informou que pelo menos 14 pessoas se encontraram em estado grave. Em nota oficial, o Itamaraty informou que "até o presente momento não há registro de brasileiros entre os mortos e feridos".
Autoridades locais estão registrando longas filas para doação de sangue e pedem, por isso, que os doadores marquem horários para o procedimento, de forma a agilizar o processo.

"Pura maldade"

Em pronunciamento na TV, o presidente americano Donald Trump chamou o ataque de "ato de pura maldade".
Trump disse que visitará Las Vegas na quarta-feira para falar com as famílias das vítimas e com a polícia local, a quem ele agradeceu pela "velocidade milagrosa" com que agiu. "Melania e eu estamos rezando por cada americano que foi ferido. Rezamos pelo dia em que o mal será banido e os inocentes serão salvos".
Dois de seus antecessores, Barack Obama e Bill Clinton, cujas administrações foram marcadas por políticas (ou tentativas) de controle na venda de armas, também usaram a plataforma para expressar seu pesar. Clinton, que ocupou a presidência entre 1993 e 2000, escreveu que "isso (o tiroteio) deveria ser algo inimaginável nos EUA".
Obama, em cuja administração ocorreram diversos tiroteios em massa, classificou o incidente em Vegas como uma "tragédia sem sentido".
O irmão do atirador disse à imprensa americana que seu pai chegou a ter seu nome na lista de mais procurados do FBI (polícia federal americana).
De acordo com o boletim do FBI de 1969, Patrick Benjamin Paddock foi "diagnosticado como um psicopata, responsável por transportar armas de fogo em roubos a banco" e "teria tendências suicidas e pode ser considerado muito perigoso quando armado".
Ficha de Benjamim Paddock no FBI
Image captionPai de atirador do ataque em Las Vegas já esteve em lista dos mais procurados da polícia federal americana | Foto: FBI

Pânico e correria

O tiroteio ocorreu por volta de 22h (horário local) durante a apresentação do cantor Jason Aldean, que deixou o palco rapidamente no momento dos disparos.
Testemunhas relataram que centenas de tiros foram disparados. O britânico Mike Thompson, morador de Londres, estava perto do local do show no momento do ataque e diz que ouviu o som dos disparos.
Vídeo amador mostra pessoas deixando área do festival.
"Estávamos a caminho do nosso hotel, o MGM, após o jantar, quando vimos pessoas correndo em pânico na nossa direção. Um homem tinha sangue por todo o corpo. Foi quando percebemos que algo estava muito errado", contou.
"Eu conseguia ouvir os sons de tiros, então puxei meu companheiro e corremos", completou.
Alguns voos foram desviados do aeroporto Las Vegas McCarran quando surgiram as primeiras notícias sobre o tiroteio.
Polícia armada é vista do lado de fora do hotel Mandalay Bay.Direito de imagemGETTY IMAGES
Image captionPolícia armada é vista do lado de fora do hotel Mandalay Bay.
Logan Cruz and Liberty Psesser, que estavam perto do palco, contaram que houve pânico no momento dos tiros, sobretudo depois de o cantor Jason Aldean, que estava no palco, ter corrido em busca de abrigo.
"As pessoas saíram correndo em despespero e vimos muita gente se pisoteando", disse Cruz.
Pessoas correndo da cena do tiroteio.Direito de imagemGETTY IMAGES
Image captionPessoas correm do tiroteio no festival Route 91 Harvey.
Pessoas fugindo dos tiros encontraram abrigo em hotéis, restaurantes e no aeroporto.
O festival de música teve início na sexta-feira, com shows nos terrenos de diferentes hotéis Las Vegas.
Didier Perez, do Texas, disse que viu pessoas chorando pelas ruas quando estava chegando ao hotel onde estava hospedado.
"Perguntamos a uma pessoa o que havia acontecido e ela disse que estavam em um show de música country e que havia um atirador lá," relatou.
"Foi aí que eu vi algumas pessoas ensanguentadas. Algumas pessoas estavam em choque e chorando. Ouvimos rumores de que haveria outros atiradores, mas era alarme falso. Houve pânico generalizado", disse.

Fonte: BBC Brasil
Direito de imagem

0 comentários:

Postar um comentário