segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Turquia posiciona tropas na fronteira norte do Iraque e ameaça iniciativa curda

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, advertiu que o referendo da independência do governo curdo poderia significar amplas consequências para a região, incluindo uma ação militar turca e o bloqueio do principal gasoduto.
Depois que os membros do KRG votaram pela independência, Erdogan propôs uma ameaça velada na qual a força militar poderá ser usada para preservar o status quo na região.
Erdogan disse que os vizinhos da Turquia "não deveriam esperar que fiquemos à assistindo a isso".
"Continuaremos trabalhando em acordo com a integridade territorial do Iraque" , disse ele.
Ele acrescentou que, no que diz respeito ao Iraque e à Síria, "que representam uma ameaça para o nosso país ... usamos todas as opções a nosso dispor".
Os comentários de Erdogan vêm no verso da declaração do Ministério dos Negócios Estrangeiros turco, que prometeu: "tomaremos todas as medidas que emanam do direito internacional e da autoridade concedida pela Grande Assembléia Nacional da Turquia".
Respondendo à tentativa da federação curda de conseguir a independência do Iraque, Erdogan disse que a Turquia pode bloquear o petróleo proveniente da região.
As duas nações operam a linha Kirkuk-Ceyhan, que possui 970 quilômetros de extensão sendo um dos principais meios de exportação de petróleo no oeste do Iraque.
"Depois disso, vejamos por quais canais o governo regional do norte do Iraque enviará seu petróleo, ou onde o venderá", disse Erdogan em um discurso pronunciado nesta segunda-feira (25).
"Nós temos a torneira. No momento em que fecharmos a torneira, então estará feito."
A fronteira sudeste do país foi o cenário de uma longa batalha separatista, onde procuravam estabelecer um estado curdo. De acordo com o International Crisis Group, que acompanha a violência na região, cerca de 2.448 pessoas morreram no conflito desde 2016.
O apoio norte americano ás forças curdas no Iraque podem ter refletido na posição de Erdogan em realizar a compra do sistema de defesa aérea S-400, o qual tem aproximado Ancara de Moscou e criado mau estar dentro da OTAN, organização da qual a Turquia é signatária.
Vale ressaltar que o principal interesse na implantação de um estado Curdo tutelado pelos EUA após o fim da "Guerra contra o EI", é apontado principalmente pelas ricas reservas petrolíferas na região norte do devastado Iraque, país o qual perdeu totalmente a coesão política após a invasão norte americana de 2003, a qual depôs e assassinou Saddam Hussein e mergulhou o país no vácuo de poder que sucedeu a morte do líder iraquiano que detinha o poder junto com partido Baath há anos.

GBN News - A informação começa aqui
com agências

0 comentários:

Postar um comentário