quinta-feira, 28 de setembro de 2017

"O Estado pode fazer acordos com JBS e não pode fazer com o tráfico?", questiona advogado de Nem

O advogado Jaime Fusco, que defende o traficante Antônio Bonfim Lopes, mais conhecido como Nem da Rocinha, preso em uma penitenciária federal de Roraima, defendeu, em entrevista ao El País, a discussão sobre um programa de desarmamento do crime, que incluiria redução de pena para criminosos que entregassem seus fuzis, e uma política de descriminalização das drogas.
“Acho verdadeiramente que é preciso propor ideias preventivas de combate à violência. Se essas ideias eventualmente passarem por acordos públicos e transparentes entre o Estado e criminosos, eu sou favorável. O que importa é resolver o problema”, declarou.
Instigado pela reportagem do El País se muitas pessoas não achariam absurdo qualquer negociação com criminosos, ainda que de modo transparente, Fusco comparou com acordo com os executivos da JBS.
“O que é a lei de leniência assinada por empresas na Operação Lava Jato, por exemplo? Elas reconhecem o erro e entregam dinheiro e alguns bens em troca de benefícios. É tão grave quanto os crimes cometidos pelas empresas. Agora pensa: qual o reflexo da Lava Jato na guerra do Rio? Nenhum. Qual o reflexo da guerra do Rio na minha vida? Muitos. O que seria melhor pra mim? Um acordo entre o Governo e o Eduardo Cunha ex-deputado preso pela Operação ou a JBS, ou um acordo de paz no Rio, com entrega de armas? O que seria melhor para a população? O Estado pode fazer acordos com JBS, com a Odebrecht, e não pode fazer um acordo com o tráfico em troca de redução de pena? Porque não? Eu queria propor essa discussão. Na Colômbia foi feito [um acordo assim]. Se é bom ou ruim, a gente vai saber depois. Já se tentou tudo aqui…”
Questionado se um possível acordo não seria um atestado de falência do Estado, Fusco afirmou que já não há mais controle.
“O Estado perdeu o controle. Ele não admite, mas perdeu o controle, infelizmente. O Estado do Rio é um Estado falido. Financeiramente, ninguém questiona isso. O Estado do Rio também é falido moralmente por causa de alguns governantes. Alguém duvida disso? Nenhuma política de segurança pública no Rio deu certo até agora. Alguém tem dúvida disso? O que precisa acontecer agora: vamos discutir. O problema é que quem mora no Rio acostumou com a falência do Estado.”

Fonte: Yahoo Notícias

0 comentários:

Postar um comentário