terça-feira, 19 de setembro de 2017

Su-35S recebe certificação de plenamente operacional após exaustivas avaliações


O Sukhoi Su-35S após intensas avaliações e testes operacionais, foi posto finalmente em operação com as forças russas, segundo um comunicado emitido pelo Ministério da Indústria e Comércio da Rússia nesta terça-feira (19).


"Nos últimos anos, o exército e a marinha colocaram em operação vários equipamentos militares que foram testados e provados eficazes em condições de combate", diz o comunicado. "Isto aplica-se particularmente as aeronaves Sukhoi Su-34, Su-35S e Mikoyan MiG-29K, aos helicópteros de ataque Kamov Ka-52 e Mil Mi-28N, ao veículo blindado Tigr-M e VBTP BTR-82A" acrescentou o comunicado do ministério.

De acordo com as informações, nos últimos dez anos, as empresas russas de defesa aumentaram significativamente suas exportações.

"Nos últimos dez anos, as exportações militares mais do que duplicaram", disse o ministro da Indústria e Comércio, Denis Manturov.

Segundo o ministro, mais de 100 países compram equipamento militar russo. "Além dos mercados tradicionais para o equipamento militar russo, existem alguns novos mercados regionais, que incluem particularmente os países do Oriente Médio, do Sudeste Asiático e da América Latina", afirmou Manturov.

De acordo com os relatórios divulgados, mais de 50 aeronaves Sukhoi Su-35S foram fornecidas à Força Aeroespacial Russa para testes operacionais.

O Ministério da Defesa russo informou que os testes visavam determinar a eficiência das armas da aeronave quando usado no modo de super manobrabilidade, bem como seus equipamentos de bordo e sistemas de controle automático.


Com a conclusão dos testes operacionais cumprindo todos os requisitos propostos, a aeronave Su-35S foi considerada finalmente "operacional" com as forças russas, tendo inclusive tendo sido avaliados em operação real de combate sobre a Síria, com as 50 aeronaves de pré-série agora entrando oficialmente para o inventário da Força Aerospacial da Rússia como meios plenamente operacionais e testados.

GBN News - A informação começa aqui
com agências

0 comentários:

Postar um comentário