sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Turquia aponta aeronaves da OTAN e EUA como alvos ao seu novo sistema S-400

Turquia surpreende com anúncio das capacidades representadas pelo seu novo meio de defesa aérea adquirido junto à Rússia, e através de infográfico divulgado pela agência de notícias Anadolu, apresenta lista de hipotéticas ameaças capazes de ser neutralizadas pelo sistemas com aeronaves e mísseis fabricados e operados pelos Estados Unidos e estados membros da OTAN.
Através do infográfico publicado na quarta-feira (20) pela agência de notícias turca Anadolu, o qual detalha os componentes de uma bateria S-400 e as capacidades do sistema. A metade da imagem mostra aeronaves que o sistema "pode ​​eliminar".
Isso inclui os bombardeiros B-52 Stratofortress e B-1 Lancer, bem como as aeronaves E-3 AWACS e diversas aeronaves operadas não pelos EUA, mas pela OTAN. A lista é interessante e inclui o avançado F-22 Raptor, além do míssil de cruzeiro Tomahawk e misseis balísticos.
A Turquia fechou recentemente um contrato com a Rússia, o qual visa adquirir o sistema S-400, o que tem criado um grande desconforto com os aliados da OTAN. A impressão passada pelo infográfico é que a Turquia busca no sistema russo a capacidade para se defender contra os meios operados pelas forças aéreas da aliança à qual é uma das signatárias, o que demonstra que as relações de confiança entre Ancara e a OTAN não estão em uma boa fase. Outra possibilidade é que o infografico sirva de recado á alguns de seus vizinhos como Israel, Arábia Saudita e outros reinos do Golfo que tem tido desencontros com a política praticada por Ancara, como as recentes tensões envolvendo tropas do país destacadas no Qatar.
 OTAN e vários aliados do governo turco, expressaram criticas a Turquia pela escolha de um sistema de defesa aérea de longo alcance de origem russa, ao invés de adotar um produzido e adotado pelos membros da OTAN, como o Patriot PAC-3, fabricado pelos EUA. Os opositores da decisão do governo de Ancara alegam que o S-400 não possui capacidade de interoperabilidade e compatibilidade com os sistemas da OTAN.
O presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, repreendeu os críticos, dizendo que ele estava pensando primeiro na segurança da Turquia e destacou momentos em que aliados da OTAN derrotaram a Turquia nesse sentido.
"O que você espera? Devemos esperar por você? Nós cuidamos de nós mesmos em todos os pontos de segurança. Estamos tomando precauções e continuaremos a fazê-lo ", disse ele.
Ancara parece estar cada vez mais distante dos membros da OTAN em uma série de questões. Há um grande desacordo com os EUA sobre o apoio de Washington na Síria e no Iraque as milícias curdas, vistos por Ancara como uma grande ameaça para a Turquia. Os EUA também recusaram as exigências do governo turco para a extradição do clérigo Fethullah Gülen, acusado pela Turquia de planejar uma tentativa de golpe militar no ano passado.
A Turquia também está em desacordo com as nações da Europa Ocidental, nomeadamente a Alemanha, que acusam o país de abusar dos direitos humanos e avançar para se tornar uma ditadura.

GBN News - A informação começa aqui
com agências

0 comentários:

Postar um comentário