sábado, 9 de setembro de 2017

Quando soldados vão além do seu dever, isso é heroísmo - Tropa brasileira na Minustah decide ficar e ajudar mais uma vez o Haiti frente ao furacão "Irma"

Apesar de ter concluído com sua missão no Haiti em 31 de agosto, as tropas brasileiras que chefiaram a missão da ONU no país caribenho, ao invés de retornar para casa após cumprir com sua missão, os brasileiros foram além disso, diante da eminente catástrofe natural com a chegada de um dos mais fortes furacões da história, o contingente brasileiro decidiu permanecer no país para mais uma vez ajudar aquele sofrido povo, um verdadeiro ato heroico de nossos militares e motivo de orgulho a nós brasileiros que nos últimos anos só temos tido péssimas notícias em nossa política e economia.

Após o desafio de 13 anos, a missão da ONU comandada pelo Brasil chegou ao fim. A partir da sexta-feira (1), nenhum militar brasileiro iria às ruas do Haiti, estando a responsabilidade da segurança do país com a polícia haitiana, cabendo ao contigente preparar as "malas" para retornar ao Brasil após uma bem sucedida missão com o fim da Minustah, 

As tropas da Minustah estavam em preparação para a desativação completa da missão até 15 de outubro.

Porém, a ameaça eminente representada pela devastadora tempestade que formou o furação de nivel 5, o mais alto da escala, e um dos mais devastadores da história até o momento, levou o contingente brasileiro a solicita junto a ONU autorização para prorrogar sua missão e enviar grande parte do contingente brasileiro para  norte do país, região que se encontra na rota do furacão, com objetivo de preparar a localidade para enfrentar o poderoso furacão, sendo uma forma de minimizar o impacto através da orientação à população e a prestação de ajuda humanitária imediata após a passagem do furacão pela região nesta sexta (8). O "Irma" que está entre os cinco mais poderosos furacões do Atlântico dos últimos 80 anos, e é o mais forte do oceano a sair do mar do Caribe e do Golfo do México e atingir a costa. O fenômeno já atinge 295 quilômetros por hora durante os picos, porém, não causou muitos estragos no Haiti.

A força brasileira se mostrou pronta em mais uma vez ajudar o povo haitiano, conforme mensagem enviada á amigos e familiares que foi divulgada na mídia, do coronel da Infantaria da Aeronáutica Moreira Lima, que integra as tropas que estão no país caribenho : "A tropa brasileira se deslocou para o Norte do país, onde o furacão passará. Podem me perguntar: 'Mas por que foram para o olho do furacão?' A resposta é simples: somos militares e se é lá que o bicho vai pegar, é lá que temos que estar", afirmou o coronel via WhatsApp. "E, desta forma, os militares brasileiros lá se encontram, alojados em contêineres, arriscando suas vidas, com o objetivo de socorrer o povo haitiano, mais uma vez", completa.

E Moreira Lima continuou: "Mesmo assim, o general de divisão Ajax Porto Pinheiro, comandante da Minustah, tomou a decisão de solicitar às Nações Unidas autorização para que os militares permanecessem no Haiti e se deslocassem para a região norte do país, que será afetada pelo "Irma", afim de prestar ajuda humanitária imediata àquela população sofrida".

A extensão das operações das tropas brasileiras foi autorizada também pelo Ministério das Relações Exteriores. O Itamaraty afirma que as tropas foram deslocadas preventivamente para a região que deve ser atingida pelo furacão, "de forma a minimizar seu impacto por meio da orientação à população e prestação de ajuda humanitária imediata". Ainda na nota, a pasta diz que o governo acompanha com atenção as notícias sobre a passagem da tempestade pelo país caribenho e "reafirma sua solidariedade ao povo e ao governo do Haiti".

Um ato heroico de heróis de um país chamado Brasil, que apesar de enfrentar suas mazelas como a corrupção e a inversão dos valores nacionais, diante de desafios econômicos e sociais, ainda conta com forças armadas bem treinadas, capazes e com afinado senso de dever e moral, um verdadeiro exemplo que deveria ser seguido pelos ocupantes do governo brasileiro.

O furacão passou como esperado pelo Haiti, porém, os danos foram poucos, deixando até o momento um homem desaparecido nesta sexta-feira (8) após o mesmo cair em um rio.
A cheia surpreendeu um motociclista que cruzava um rio no centro do país, informaram as autoridades haitianas.
Seis dos dez departamentos haitianos foram afetados pelo Irma e ao menos 5 mil pessoas permanecem em albergues provisórios, segundo as mesmas fontes.
Exceto por telhados de zinco arrancados pelos fortes ventos, os danos causados pelo "Irma" no Haiti foram relativamente limitados, já que o furacão passou ao norte da ilha de Hispaniola, onde também está a República Dominicana, em direção à Cuba e às Bahamas.
O alerta vermelho decretado na quinta-feira (7) em todo território haitiano foi suspenso nesta sexta (8), com a tropas brasileiras auxiliando nos atendimentos pós furacão.


GBN News - A informação começa aqui
com agências

0 comentários:

Postar um comentário