sábado, 9 de setembro de 2017

Ofensiva em Deir ez-Zor quebra sítio e recupera importantes territórios na Síria

Com o sítio de três anos à Deir ez-Zor pelo EI, efetivamente quebrado pelas forças governamentais, a ofensiva contra os terroristas continua, enquanto a ajuda humanitária começou a chegar aos civis na cidade, que dizem estar "à beira da fome".

Neste sábado (9), o campo petrolífero de Teym foi recuperado dos terroristas do Estado islâmico no deserto ao sul de Deir ez-Zor, de acordo com a TV estatal. Esta parte oriental da Síria é uma área rica em petróleo.

O exército sírio e seus aliados também chegaram a uma base aérea perto da cidade e estão lutando para recuperar a base, que foi sitiada por jihadistas há anos.

As forças agora têm como objetivo retomar as partes restantes de Deir ez-Zor dos terroristas. O exército está prestes a libertar completamente a cidade, que é uma das últimas fortalezas do EI na Síria.

A quebra do bloqueio aconteceu no início desta semana, após uma série de operações bem-sucedidas realizadas pelo exército sírio com o apoio da Força Aérea Russa.

Os armazéns de munição do Estado islâmico foram identificados pela Força Aérea da Síria durante a operação, disse o exército sírio, dizendo que os militares também "ouviram as reuniões em que os terroristas planejavam ataques dentro e ao redor de Deir ez-Zor ".

"Com a ajuda do poder aéreo russo, a Força Aérea da Síria atingiu esses lugares antes da chegada das tropas do governo sírio. Isso enfraqueceu a capacidade do EI de atacar e chamar reforços de Raqqa e Palmira ", disse o comandante do exército sírio.

Ele acrescentou que as forças sírias "lutaram batalhas ferozes", como os jihadistas " plantaram dispositivos explosivos improvisados ​​e carros-bomba ao redor ".

Enquanto isso, os comboios humanitários começaram a chegar em Deir ez-Zor pela primeira vez desde que o cerco foi quebrado. Nos últimos três anos, os locais dependeram do suporte de um campo aéreo militar controlado por uma das brigadas do exército sírio.

"As pessoas em Deir ez-Zor estavam à beira da fome. Estávamos desesperados por comida e água para chegar à cidade, era tudo o que nós queríamos. E graças a Deus, a ajuda já chegou ", disse um homem.

"Nós não podemos descrever o quão aliviados estamos. As pessoas estavam morrendo", disse outro residente entre aqueles que fazem filas por comida, água e outros suprimentos vitais.

A Rússia também se juntou aos esforços humanitários e enviou comboios para as partes recém-libertadas da cidade. Neste sábado (9), foram distribuídas garrafas de água potável, alimentos, remédios e outros estoques vitais da Rússia, informou o Centro Russo para a Reconciliação dos Lados Oponentes na Síria.

Segundo os militares russos, também estão sendo feitos esforços para facilitar o retorno dos refugiados às suas casas, à medida que as infraestruturas estão sendo restauradas nas áreas libertadas dos terroristas. Moscou está participando ativamente para ajudar os sírios a acelerar o trabalho para restaurar hospitais, escolas, padarias, bem como fontes de água e energia.

Em junho, o EI controlava cerca de um quarto do país. Mas nos últimos três meses, o grupo terrorista perdeu cerca de metade desses territórios. No momento, ainda detém parcialmente a província de Deir ez-Zor, bem como os territórios perto de Hama e Homs, no oeste da Síria.


GBN News - A informação começa aqui
com agências

0 comentários:

Postar um comentário