sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Novas sanções apontam falha completa da política dos EUA em relação à Rússia

Novas sanções dos EUA são indicativos de uma falha completa da política de Washington em relação à Rússia, disse o vice-chanceler da Rússia Sergey Ryabkov nesta sexta-feira (2).

"Mais uma vez nos encontramos em uma situação em que a administração dos EUA demonstra desrespeito total e completo, algo óbvio para as circunstâncias, ou seja, ninguém nunca pode e vai se render até os EUA tentar impor pressão através de sanções sobre outros países", disse o diplomata.

"Falamos anteriormente e dissemos que mais uma vez o curso tomado pelo governo americano é um fracasso do início até o fim. Ele atesta a debilidade do pensamento político e diplomático americano e um completo fracasso da política de Washington com relação á Rússia", disse o diplomata .

De acordo com Ryabkov, as novas sanções contra a Rússia só vai endurecer a determinação de Moscou em buscar o cumprimento de Kiev com os compromissos de Donbass.

"Estas sanções só podem reforçar a nossa determinação de assegurar um fornecimento estável de outros meios entre a Crimeia e a região de Krasnodar", disse o diplomata, acrescentando que eles vão "adicionar firmeza à abordagem".

Ele disse que estava se referindo ao apoio de Moscou no sentido de garantir incondicionalmente os direitos aos residentes de Donbass, garantindo um estatuto especial destas áreas, bem como uma política consistente e exigente com Kiev ", com o objetivo de alcançar uma implementação completa dos acordos de Minsk".

"Vamos tornar a administração dos EUA uma coisa do passado, juntamente com as suas sanções", disse ele.


sanções dos EUA não afetarão a construção da ponte Kerch


Ryabkov afirmou que as sanções não são susceptíveis de alterar a situação em torno da Crimeia ou afetar a construção de uma ponte sobre o Estreito de Kerch.


As sanções não terão impacto macroeconômico


De acordo com o ministro russo de Desenvolvimento Econômico Alexei Ulyukayev, a expansão da lista de sanções dos Estados Unidos contra empresas russas não terá impacto macroeconômico sobre a economia russa, mas ele vai ter algum impacto sobre as empresas individualmente.

"É claro que não haverá nenhum impacto macroeconômico. Mas para as empresas individualmente, é claro, a vida se tornará um pouco mais complicada", disse ele em entrevista nesta sexta-feira (2).

O vice-premiê russo, Arkady Dvorkovich, disse anteriormente que uma nova rodada de sanções dos EUA contra a Rússia não terá qualquer efeito sério na economia e negócios da Rússia.

Ele acrescentou que a Rússia já está acostumada com o fato de que "existem sanções e essas mudanças têm pouco significado para a mesma.

O governo dos EUA na última quinta-feira (1), mais uma vez expandiu a lista de indivíduos russos e pessoas jurídicas sujeitas a sanções econômicas americanas unilaterais em conexão com o conflito na Ucrânia. A lista foi suplementada com 17 indivíduos e 19 empresas. A lista de pessoas sujeitas a sanções setoriais foi expandida para incluir uma série de gigantes da energia russa, como a Gazprom e suas subsidiárias. As sanções foram também direcionadas as empresas ligadas à construção da ponte do Estreito de Kerch.



GBN seu canal de informações e notícias
com agências de notícias


0 comentários:

Postar um comentário