segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Mísseis da Coreia do Norte alertam G20

A Coreia do Norte disparou três mísseis balísticos de sua costa leste nesta segunda-feira, em um lembrete desafiador dos riscos à segurança global enquanto líderes mundiais, incluindo o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reuniam em uma cúpula do G20 na China pelo segundo dia.
A Coreia do Norte já testou mísseis em momentos delicados no passado para chamar atenção para seu poderio militar, mas o lançamento desta segunda-feira pode constranger seu principal aliado, Pequim, que se empenhou muito para garantir uma cúpula sem sobressaltos em Hangzhou, cidade do leste chinês.
O teste de mísseis também foi uma distração nada bem-vinda para os EUA, que nos bastidores da reunião vêm tentando finalizar um acordo com a Rússia para obter um cessar-fogo na Síria.
O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, se encontraram em Hangzhou, mas não conseguiram avançar. Mais tarde Obama conversou com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e os dois presidentes orientaram seus diplomatas a continuar trabalhando por acordo para a Síria. [nL1N1BH0AX]
Os militares da Coreia do Sul disseram que Pyongyang lançou os mísseis perto da 0h (horário de Brasília). A agência de notícias sul-coreana Yonhap relatou que os mísseis de médio alcance voaram cerca de mil quilômetros e caíram dentro da zona de identificação da defesa aérea do Japão.
O teste levou a uma reunião rápida entre a presidente sul-coreana, Park Geun-hye, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, em Hangzhou, e ambos acertaram cooperar no monitoramento da situação, informou um comunicado do Japão.
Mais cedo nesta segunda-feira, os líderes da Coreia do Sul e da China se reuniram nos bastidores da cúpula do G20, e o presidente chinês, Xi Jinping, reafirmou o compromisso de Pequim com a desnuclearização da península coreana, relatou a agência estatal de notícias chinesa Xinhua.

Park disse que um quarto teste nuclear norte-coreano neste ano, seguido de uma série de testes de mísseis, "prejudicou gravemente a paz na península coreana e na região e criou um desafio para o desenvolvimento dos laços Coreia do Sul-China", segundo a Yonhap.  
Xi disse que a China se opôs ao posicionamento do sistema antimísseis Defesa Aérea Terminal da Alta Altitude (Thaad, na sigla em inglês) na Coreia do Sul como contraposição às ameaças de mísseis e nucleares de Pyongyang.
Dois anos atrás, o Norte disparou dois mísseis de médio alcance Rodong no momento em que Park e Abe se reuniam com Obama em Haia para debater uma reação ao programa de armas norte-coreano.
Em 2003, a Coreia do Norte testou um míssil anti-embarcação durante uma cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec, na sigla em inglês) realizada em Bancoc.

Fonte: Reuters

0 comentários:

Postar um comentário