sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Chile incorpora primeiro P-68 Observer II - Uma interessante opção ao Brasil

No dia primeiro de setembro, a Marinha do Chile anunciou a incorporação da primeira das sete aeronaves P68 Vulcanair Observer II. Aeronave que virá a substituir os O-2A Skymaster que operam com a força chilena desde os anos 80.

A primeira aeronave, chegou à Base Aérea Naval de Concon em 1 de Julho, afim de cumprir com as missões de busca e salvamento, patrulha e esclarecimento marítimo, evacuação aeromédica e plataforma de ligação, assumindo o lugar do O-2A Skymaster que chega a sua aposentadoria.

O Ministério da Defesa ainda não revelou quando a aeronave entrará plenamente em serviço, no entanto, disse que o tipo começará suas operações com o Esquadrão VC-1 no início de 2017, voando a partir de Puerto Montt e Iquique, inicialmente, antes de ser transferido para base em Talcahuano. Nos próximos dias deverá receber mais duas aeronaves, outras duas no fim deste ano e as duas últimas do lote no princípio do próximo ano.

Equipado com dois motores Lycoming IO-360-A1B6, o Observer P68 II já está em serviço com um número expressivo de operadores militares e serviços públicos ao redor do mundo, incluindo o próprio exército chileno. Com custos operacionais extremamente atraentes, cerca de um quinto do custo operacional de um helicóptero mono turbina, o P68 Observer II possui velocidade de cruzeiro de 300 Km/h, contando com um alcance de 1.925 Km e uma autonomia de aproximadamente 7 horas, a aeronave pode voar no teto máximo de 5.490 metros, possuindo capacidades e desempenho muito superiores á um helicóptero.

A aeronave conferirá um imenso ganho nas capacidades operacionais da marinha chilena, sendo uma opção muito atraente para nações vizinhas que buscam ampliar suas capacidades mantendo um custo operacional baixo. O P-68 Observer II seria uma ferramenta muito útil ao Brasil, onde há imensas áreas de fronteira seca a ser patrulhada e mesmo nas zonas costeiras.

GBN seu canal de informações e notícias
com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário