sábado, 12 de dezembro de 2015

Supercaça russo rejeitado pelo Brasil está quase pronto

O projeto do novo avião de combate da Rússia, o supercaça Sukhoi T-50 PAK FA, está quase concluído. “Neste momento, várias aeronaves estão voando para testar o conjunto de aviônicos (equipamentos de voo). Os testes das suas características de voo praticamente foram concluídos”, afirmou Yuri Borisov, ministro adjunto de defesa, ao canal de televisão Russsia 24. As primeiras entregas à Força Aérea da Rússia estão programadas para 2017.
Considerado o avião mais avançado já desenvolvido na Rússia, o PAK FA (acrônimo em russo para “Futuro Caça Tático”) está sendo projetado para ter performance excepcional e ser capaz de carregar armas de última geração. Além disso, também será uma aeronave stealth (invisível aos radares) e com uma capacidade de manobra soberba, como já pode ser conferido em apresentações dos primeiros protótipos em show aéreos na Rússia.
A nova aeronave da Sukhoi ainda será equipada com um radar multifuncional de varredura eletrônica capaz de encontrar aviões inimigos voando a mais de 300 km de distância. Já os armamentos do caça, como mísseis guiados por calor e radar (até seis artefatos), serão armazenados em depósitos internos da aeronave para preservar sua “invisibilidade”.
Informações preliminares da fabricante russa dão conta de que o T-50 poderá voar a mais de 2.400 km/h a 20 mil metros de altitude e terá um alcance aproximado de 3.500 km ou 5.500 km com um reabastecimento aéreo. Se comprovada a eficiência de seus armamentos e equipamentos de voo, este poderá se tornar um dos aviões militares mais letais do mundo.
A força aérea russa espera receber 55 caças da nova geração até 2020, informou o ministro russo.
 Brasil não quis
Em 2008, o Brasil foi convidado para participar do programa de desenvolvimento do Sukhoi PAK FA e o tema chegou a ser cogitado pelo governo, que já buscava uma nova aeronave de alta performance para equipar a Força Aérea Brasileira (FAB). No entanto, o acordo acabou desconsiderado no ano seguinte a favor do Dassault Rafale, após uma negociação secreta com a França e que mais adiante também seria cancelada.
A Rússia ainda tentou inserir o Brasil no projeto em mais uma oportunidade, que foi novamente rejeitada. Na época, a Sukhoi planejava participar do programa FX-2, no qual foram pré-selecionados o Boeing F/A-18, Rafale e o Saab Gripen NG, que foi o escolhido. Nessa ocasião, a fabricante russa ofereceu o caça Su-35 e a chance de participar no desenvolvimento do PAK FA, que está praticamente finalizado.

Fonte: Airway

0 comentários:

Postar um comentário