quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Sistemas DAM dos EUA não poderiam aguentar ataque russo

O sistema da DAM que os norte-americanos atualmente possuem, segundo avaliações de especialistas, não pode repelir as ações da Força Estratégica de Mísseis da Rússia.

O sistema da defesa antimíssil (DAM) que atualmente está em serviço nos EUA não pode repelir o ataque em massa da Força Estratégica de Mísseis da Rússia (RVSN, na sigla em russo), declarou o chefe da entidade militar o coronel-general Sergei Karakaev em uma coletiva.
"As avaliações de especialistas mostram que o sistema da defesa antimíssil instalada por suas capacidades de informação e de fogo não pode combater a aplicação em massa de capacidades da RVSN", disse.
O alto militar russo também fez lembrar que, segundo avaliações norte-americanas, "a integração de vários meios de aplicação e caraterísticas em uma nova sistema da DAM pode organizar um sistema da defesa multi-escalão que garantiria a ‘influência a alvos espaciais e aéreos’ em quaisquer pontos da trajetória de voo".
Segundo explicou, a declaração tem a ver com o processo de atingir mísseis e blocos militares de mísseis da RVSN.
"Para fazer isso, é planejado incluir na construção de meios da DAM modernos os complexos de armas de laser e cinéticos, complexos antimíssil e complexos de intercepção implantados na água, ar e espaço", divulgou.

Mas os planos de desenvolvimento próximo da RVSN já foram corretadas tendo em conta os tempos e escala de desenvolvimento dos sistemas da defesa dos EUA, sublinhou Karakaev.

A realização dos planos de longo prazo do desenvolvimento da RVSN e Forças Nucleares Estratégicas da Rússia prevê a aplicação de meios e métodos mais modernos e inovadores visando ultrapassar os esforços dos EUA, notou.

As Forças de Mísseis Estratégicos são o componente terrestre das Forças Estratégicas Nucleares da Rússia e se mantêm em permanente prontidão de combate, cumprindo uma missão de dissuasão nuclear. 

As RVSN têm em seus arsenais mísseis intercontinentais de classe pesada (RS-20V Voevoda ou Satanás, segundo a classificação ocidental) e de classe ligeira (RS-18 Stilet e RS12M2 Topol-M), assim como o novo míssil balístico intercontinental RS-24 Yars (SS-X-29 para a OTAN), que é uma versão modernizada do Topol-M, com o alcance de 11 mil quilômetros.


Fonte: Sputnik News 

0 comentários:

Postar um comentário