terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Avibras e Imbel firmam parceria para desenvolver sistema de artilharia

As empresas bélicas Avibras, de São José dos Campos, e a Imbel, em Piquete, firmaram uma acordo para desenvolver em conjunto um sistema computacional para a artilharia do Exército Brasileiro. Esta é a primeira vez que as empresas se unem na produção de um sistema integrado.
O memorando para a parceria foi assinado na última quinta-feira (10) quando foram entregues nove das 38 viaturas do Exército modernizadas pela Avibras. A expectativa é que a atuação em conjuntos das empresas bélicas gere empregos na região - ainda não há previsão para abertura dos postos de trabalho.

A intenção da atuação em conjunto é digitalizar a artilharia de tubo do Exército Brasileiro, que dispara foguetes e mísseis, por meio de computadores capazes de calcular cada tiro, com auxílio de equipamentos de geolocalização e busca de alvos.

“[A artilharia digitalizada] fará com que os alvos sejam atingidos com maior precisão e rapidez, com integração de computadores, rádio, GPS e topografia”, explicou o gerente de desenvolvimento de negócios da Avibras, Marcos Agma.

As indústrias acreditam que, com a soma de suas equipes de engenharia, sejam capazes de oferecer um produto de maior eficiência operacional e baixo custo que pode ser integrado a grupos de artilharia que empregam tanto os obuseiros (tanques de guerra) modernos quanto os mais antigos.

“Esta é a primeira vez que unimos forças com a Imbel para a criação de um sistema, que será feito de acordo com as necessidades do Exército Brasileiro, com tecnologia própria”, afirma Agma.
Projeto

Ainda não há previsão para a conclusão do projeto, que quando for executado deve gerar 100 empregos diretos na linha de produção e 300 indiretos na Avibras. A expectativa é que o novo sistema possa ser exportado para exércitos de outros países.


Fonte: G1 Noticias 

2 comentários:

É da maior relevância esta parceria.
O que queremos mesmo é que a Avibras entre na produção de um caça que nos leve mais ainda aos ceus.

É da maior relevância esta parceria.
O que queremos mesmo é que a Avibras entre na produção de um caça que nos leve mais ainda aos ceus.

Postar um comentário