segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Dez fatos sobre o cruzador de mísseis Moskva

Navio foi posicionado no litoral sírio, desde derrubada de avião, para defender a Força Aérea russa de novas ameaças. Veja como isso será possível.

1. É o principal navio do Projeto 1164, de cruzadores de mísseis guiados, da Marinha russa. Concebido em 1976 em um estaleiro de Nikoláiev, foi batizado de Slava (“Glória”).
2. Trata-se basicamente de uma versão naval do sistema de defesa antiaérea S-300. Além de mísseis, o navio está equipado com morteiros antissubmarino e torpedos.
3. O Moskva é conhecido em diversos países como o “destruidor de porta-aviões”. O apelido é inspirado nos dezesseis mísseis antinavio SS-N-12 Sandbox montados na superestrutura.
4. Foi utilizado pela delegação soviética durante a Conferência de Malta (2 e 3 de dezembro de 1989), que reuniu Mikhail Gorbachev e George H. W. Bush. As más condições do tempo e o mar agitado resultaram no cancelamento ou adiamento de algumas reuniões. O encontro ficou conhecido na mídia internacional como a “Conferência da Náusea”.
5. Slava voltou à ativa como Moskva em abril de 2000, substituindo o Almirante Golovko como navio-almirante da frota russa no mar Negro.
6. A tripulação do Moskva dispõe de todas as facilidades para o dia a dia, inclusive para os momentos de descansado nos longos períodos no mar: TV, rádio, meios de comunicação, posto médico, biblioteca, sala de cinema, lavanderia, padaria, cabeleireiro, academia e até sauna.
The Russian guided missile cruiser Moskva arrives to the coast of Latakia to provide air defense. Video screen grab. Foto: TASS
Cruzador de mísseis Moskva na chegada à costa de Latakia, no noroeste da Síria Foto: TASS

7. A elevada ponte de voo na popa permite a operação de helicópteros Ka-25 ou Ka-27, ambos desenvolvidos para transbordo e guerra antissubmarina.
8. O Moskva atuou em uma batalha na costa da Abecásia, durante a Guerra Russo-Georgiana, em 2008. Na ocasião, quatro navios lança-mísseis georgianos violaram a zona de segurança declarada ao redor dos navios da Marinha russa na Abecásia. As unidades russas abriram fogo de artilharia, afundando um dos navios e forçando as três embarcações georgianas remanescentes a recuar. Essa foi a primeira batalha naval da Marinha russa desde 1945.
9. No mês passado, o cruzador passou a reforçar o combate ao Estado Islâmico (EI). Um Moskva foi enviado para o litoral da fronteira entre a Síria e a Turquia em resposta à derrubada do bombardeiro russo Sukhôi-24 pela aviação turca.
10. O cruzador Moskva oferece cobertura do sul da Turquia até Latakia, no noroeste da Síria, e garante a segurança dos aviões russos. A defesa se deve também ao armamento do cruzador:

- 16 mísseis P-500 Bazalt ou mísseis antinavio P-1000 Vulkan;
- 8 × 8 (64) mísseis terra-ar de longo alcance S-300PMU Favorit (SA-N-6 Grumble);
- 2 × 20 (40) do 9K33M “Osa-M” (conhecido como SA-N-4 “Gecko” pela Otan), a versão naval do sistema de mísseis terra-ar;
- 1 canhão duplo AK-130 130mm/L70;
- 6 sistemas de armas de defesa próxima navais AK-630;
- 2 morteiros antissubmarino RBU-6000;
- 10 tubos de torpedo (2 quin) 533mm.


Fonte: Gazeta Russa

0 comentários:

Postar um comentário