terça-feira, 3 de março de 2015

Rolls-Royce abre novo centro de motores para o F-35

A Rolls-Royce abriu uma nova unidade de reparo para os componentes do motor do F-35, a empresa pretende que pelo menos por enquanto esta seja o centro de suporte ao programa JSF F-35.

Plainfield, em Indiana, será o o centro de apoio ao F-35, que fornecerá a capacidade para os modelos F-35B. A Itália, Reino Unido e os Fuzileiros navais do EUA planejam operar a versão "B" do caça stealth, com os fuzileiros navais tendo a previsão de operar com o caça neste verão.

A nova unidade representa um investimento de mais de 10 milhões de dólares, divididos em "cerca de 50/50" entre a empresa e os fuzileiros navais, disse Tom Hartmann, vice-presidente sênior de negócios da Rolls-Royce nos EUA.

Para coincidir com as novas instalações, a Rolls-Royce está consolidando a produção dos componentes para a região. A maioria das peças já estão sendo produzidos em uma instalação perto de Plainfield, enquanto a empresa está direcionando a produção de seus três centros para os EUA. Esse trabalho é feito atualmente no Reino Unido.

Ter as instalações nas proximidades "permite-nos fazer o nosso trabalho de forma eficiente", disse Hartmann, acrescentando que a empresa tem "conduzido o crescimento sob medida tendo em mente o futuro."

O programa JSF F-35 anunciou planos para uma rede global de suporte, com a primeira rede de estruturas de suporte para realizar manutenção pesada que incluí os motores, anunciadas em dezembro. A manutenção pesada abrange o trabalho que envolve modificações ou reparos na célula da aeronave, como uma substituição de um anteparo ou a fixação de uma asa.

Na Europa, a Itália vai garantir a manutenção pesada da fuselagem para a Europa, com o Reino Unido potencialmente ganhando negócio adicionais no futuro, se a Itália não puder lidar com a carga de trabalho. A Turquia, por sua vez, terá a primeira das três instalações europeias de manutenção pesada de motores, eventualmente seguida da Noruega e Holanda.

No Pacífico, o Japão e a Austrália terão uma fatia da participação no suporte dos motores e estruturas de suporte.

Apesar da nova instalação, Hartmann disse que nenhuma decisão foi tomada sobre como sistema de suporte serão tratadas globalmente. Em vez disso, ele chamou a nova instalação de uma solução "provisória", projetada para atender às exigências da frota de F-35B, enquanto as decisões finais são tomadas.

"Os Marines ainda estão estudando, todo mundo está estudando como eles querem apoiar o sistema de suporte, mas estamos investindo, comprometidos e prontos agora para apoiá-los com as nossas instalações provisórias", disse ele. "Estamos trabalhando com eles, financiados por eles, para estudar a maior integração possível  da estrutura de apoio."

Hartmann acrescentou que ele entende que os Marines esperam terminar seus estudos em tempo para realizar a solicitação orçamentária para 2017. Eles provavelmente vão demorar mais tempo do que isso para determinar como vai funcionar a estrutura internacional de suporte, com Hartmann acrescentando que sua empresa não iniciou as conversas com potenciais parceiros internacionais.

"Nós estamos tentando nos inclinar para atender as necessidades do Corpo de Fuzileiros Navais para atingir a capacidade operacional inicial este ano", disse ele. "Nós estamos tentando estar prontos e ser capazes de apoiá-los totalmente quando tomarem a operação."

A Rolls-Royce no mês passado foi premiada com três contratos, somando um total de 442 milhões de dólares e que abrange a produção e suporte para os 17 Liftsystems incluídos no F-35.

Fonte: GBN GeoPolítica Brasil com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário