terça-feira, 3 de março de 2015

Portugal pode comprar da França LPD "Siroco"

A agência de aquisições de defesa Portuguesa (DGRDN) está considerando comprar da Marinha Francesa o LPD "Siroco", segundo anuncio feito pelo Ministério Nacional da Defesa (MND).

No entanto, não foi feita nenhuma decisão final sobre a compra do navio devido a considerações financeiras. Para financiar a compra de 80 milhões de euros (cerca de 90 milhões de dólares) e equipamentos associados a transferência e treinamento, o MND está considerando desviar fundos previamente destinados a modernizar duas fragatas, conforme noticiamos há poucos dias no GBN.

O "Siroco" está programado para ser descomissionado da Marinha francesa este ano, segundo informações fornecidas pela Marinha francesa. A Marinha Portuguesa já realizou duas visitas técnicas ao "Siroco", uma em 2014 na França e uma segunda durante a passagem do LPD em uma escala feita em Lisboa entre os dias 28 de janeiro e 2 de fevereiro.

O programa de modernização de Portugal para os anos de 2015-2016, não inclui a compra do "Siroco", e também não inclui novas melhorias nas três fragatas da Classe Vasco da Gama, fragatas do projeto MEKO 200PN de Portugal e duas fragatas da Classe Bartolomeu Dias.

Encomendado em dezembro de 1998, O "Siroco" é o segundo navio da classe "Foudre". O primeiro navio que deu nome a classe, o "Foudre", foi vendido para o Chile, sendo incorporado aquela esquadra em Dezembro de 2011, adotando o nome de "Sargento Aldea". O Chile havia anunciado anteriormente interesse na compra do "Siroco", mas depois abandonou esses planos.

A Marinha do Brasil também tem mostrado interesse em adquirir o navio e outros navios da Marinha francesa. No entanto, este plano parece ter sido cancelado, possivelmente devido a restrições orçamentárias e o favorecimento da construção local sob licença de dois navios no âmbito do Programa de Obtenção de Navios Anfíbios (PRONANF).

Portugal recebeu em 2007 o projeto básico de um LPD da ThyssenKrupp Marine Systems, como parte do pacote de compensação pela compra de Portugal de submarinos do Tipo 209PN da Alemanha. A construção deste LPD, Navio Polivalente Logístico (NAVPOL) estava previsto para ser realizado em Portugal no âmbito de um contrato celebrado com o estaleiro português agora extinto Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC). Com isso e a crise que assola a economia lusitana, os planos de construir seu próprio LPD foram cancelados, restando agora a Marinha de Portugal a opção de compra do navio francês "Siroco".

Fonte: GBN GeoPolítica Brasil com agências de notícias 

0 comentários:

Postar um comentário