quinta-feira, 5 de março de 2015

Forças aerotransportadas russas recebem novos veículos

As Forças aerotransportadas russas (VDV) receberam o primeiro lote de veículos BMD-4M 'Sadovnitsa' produzidos em série e transportes blindados BTR-MDM 'Rakushka' (APCs), em 3 de março. No total, 12 veículos de cada tipo foram entregues à VDV pelo fabricante JSC Kurganmashzavod.

Segundo Nariman Tamergazin, vice-comandante da VDV, afirmou que os veículos seriam enviados para uma unidade no distrito militar na região oeste da Rússia. Até o final de 2015, a VDV deverá ter recebido 62 BMD-4M e 22 BTR-MDM.

O BMD-4M baseia-se na BMD-4, mas incorpora uma variedade de melhorias, incluindo um novo casco superior, motor, chassis e outros subsistemas. O objetivo por trás da criação do BMD-4M tem sido a de melhorar as capacidades dos veículos blindados da VDV, mantendo a máxima semelhança com o veículo de infantaria BMP-3 operado pelas Forças Terrestres russas.

Para reduzir o peso da BMD-4M, a construção do motor inclui algumas peças feitas em ligas de magnésio e coletores de indução construídos de aço fino.

O BMD-4M está armado com uma torreta Bakhcha-U, incluindo um novo sistema de controle de fogo que permite que o veículo possa disparar direta e indiretamente. O Bakhcha-U também está instalado no BMP-3 e está armado com um canhão de 100mm 2A70 principal (capaz de disparar anti-tanque mísseis guiados  Arkan), uma metralhadora coaxial 2A72 e uma metralhadora 7,62mm coaxial.

Enquanto isso o BTR-MDM é baseada na APC BTR-MD existente. Tem sido igualmente concebido para ter um elevado grau de semelhança com o BMP-3 e o BMD-4M. O novo APC é destinado para o transporte de tropas aerotransportadas, fuzileiros navais, munições, peças de reposição ou de combustível.

A construção do veículo permite o emprego de uma variedade de conjuntos de equipamentos modulares para ser instalados. Uma família inteira de variantes do veículo esta prevista para o VDV, incluindo: comando, ambulância, comunicações e suporte.

Fonte: GBN GeoPolítica Brasil com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário