terça-feira, 24 de maio de 2016

Primeira crise de Temer derruba Jucá; Governo prepara medidas de ajuste

A queda do ex-ministro do Planejamento Romero Jucá é a manchete dos jornais nesta terça-feira (24). A Folha de S. Paulo, que revelou trechos da gravação na qual Jucá conversa com o ex-diretor da Transpetro Sérgio Machado, e trata de um “pacto” contra a Lava Jato, fez o título: "Áudio derruba Jucá do Ministério no 12º dia da gestão Michel Temer". 

Jucá tentou explicar algumas de suas afirmações na conversa gravada por Machado, e divulgada pelo jornalista Rubens Valente, mas ao fim do dia pediu licença do cargo. A ideia do senador é voltar à pasta após esclarecimentos do caso. Mas os jornais publicam informações de que, para o presidente interino Michel Temer, o afastamento é definitivo. 

No Globo, o título é: "Grampo derruba Jucá, desafia Temer e alarma cúpula do PMDB". Tanto o Globo, quanto o Valor, publicam a informação de que Machado gravou também conversas com o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e o ex-presidente José Sarney. No Estado de S. Paulo, o título é: "Gravação sobre Lava Jato obriga Jucá a deixar ministério".  

Temer esteve na segunda (23) no Congresso, com toda a cúpula do governo, para mostrar a força do Parlamento e entregar a nova meta fiscal, que registra um rombo de R$ 170,5 bilhões deixado pelo governo Dilma para 2016. A nova meta deve ser votada nesta terça (24). O governo prepara ainda um pacote de medidas para o ajuste das contas. 

A notícia da entrega da meta e das medidas que estão sendo preparadas estão em todos os jornais. O Valor informa na manchete: "Teto para gasto incluirá educação, saúde e INSS". No segundo titulo mais forte, o jornal de economia registra: "Suspeito de agir contra Lava Jato, Jucá deixa o governo". 

A notícia sobre Jucá agitou o mundo político e fez o PSDB soltar uma nota para rebater as referência aos líderes do partido feitas por Jucá, além de dar força ao PT para o pedido de anulação do processo de impeachment. 

O ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse que deter a Lava Jato é impensável. O governo interino deve anunciar a antecipação do pagamento da dívida do BNDES com o Tesouro. O governo Dilma Rousseff emprestou meio trilhão ao banco e negociou um pagamento a longuíssimo prazo. Temer quer receber pelo menos R$ 100 bilhões a curto prazo, segundo a Folha. 

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, criou fórum de coordenação com a Argentina em sua viagem a Buenos Aires. Depois de mais de 50 anos, os EUA suspenderam o embargo de venda de armas ao Vietnã durante a visita do presidente Barack Obama a Hanoi.

Outras notícias: o MP investiga a denúncia de que a Dersa, empresa do governo paulista, pagou ao grupo de bandidos PCC na obra do Rodoanel; O Estado do Rio deixou de pagar uma parcela da dívida ao exterior e o Tesouro, que é avalista, terá que pagar.

Fonte: G1 Notícias

0 comentários:

Postar um comentário