sexta-feira, 20 de maio de 2016

Beltrame diz que pedirá reforço militar para atuar no RJ durante Jogos

O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, anunciou nesta quinta-feira (19), após reunião com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, no Rio, que vai pedir reforço militar para atuar em determinados locais durante as Olimpíadas. Ele disse que vai mapear as áreas com apoio das polícias Civil e Militar.
Jungmann disse que o governo está disposto a colaborar se o governador, Francisco Dornelles, e o presidente em exercício, Michel Temer, fizerem o pedido. Durante a entrevista coletiva, ele disse que existe uma tropa de contingenciamento de três mil militares já prontos.
Beltrame explicou que o reforço seria importante para aliviar o efetivo do estado para atuar em outras áreas.
"A minha preocupação é com a segurança pública da cidade. As Olimpíadas vão embora e a segurança fica", disse.
Segundo o secretário, há dois planejamentos de segurança: o para os Jogos, que está pronto, e o da cidade, para o cidadão. "A cooperação é bem-vinda. Nós estamos tratando a questão das Olimpíadas um pouco separado do estado."
Chance de ocupação
A ocupação de áreas violentas já foi admitida como possibilidade pela Secretaria de Segurança, como antecipou o G1. O próprio Beltrame admitiu a possibilidade e citou que poderia pedir ajuda.

"Semanalmente a gente faz análises de risco com as instituições e, se isso for necessário [ocupar áreas violentas], eu sempre disse que não tenho escrúpulo nenhum de pedir colaboração para qualquer instituição", disse Beltrame.
"Mas, particularmente, não acho que a gente deva gerar uma expectativa temporária nas pessoas. É uma possibilidade que pode ser estudada. Em um evento imenso como os Jogos [Olímpícos], nada pode ser descartado".
Nas análises de risco, as autoridades de segurança levam em conta até que ponto a guerra entre facções criminosas nas comunidades poderia interferir no andamento das Olimpíadas. Beltrame, porém, diz que a cidade está apta a receber as competições, com mais de 50 mil policiais na cidade.

Fonte: G1 Notícias

0 comentários:

Postar um comentário