sexta-feira, 13 de maio de 2016

Artigo do editor: Qual a missão das mídias hoje?

Hoje bem sabemos que a grande mídia e as mídias de segunda linha, tem sido um grande expoente de poder, tendo exercido uma grande influência sobre a grande massa e mesmo ao destino de corporações e governos, tendo amplo poder de tornar uma pessoa um sucesso ou mergulhá-lo no mais profundo poço de lama. 

O poder da mídia hoje é algo real e que deve ser motivo de debate ético e de responsabilidades cabíveis a este "novo" poder, pois tenho assistido nos últimos anos e observado a grande proporção que tem tomado a influência exercida pelas mídias sobre a população, quer seja ela mídia social, mídia digital ou telejornais e impressos. O fato é que hoje estamos vivendo uma nova era das comunicações, onde qualquer um pode publicar o que quiser nas redes sociais e outras mídias ditas "livres", estamos expostos ao impacto do seu poder em todo seu espectro e pouco se tem refletido sobre isso, tendo muitos de nós nos permitido a ser guiados por ideias e ideologias que nos vendem subliminarmente ou diretamente através de programas, noticiários e diversas outras formas de difundir uma determinada mensagem.

Mas até nós mesmos, jornalistas devemos dar uma pisada no freio e avaliar com responsabilidade o que estamos publicando ou engolindo como verdade, hoje nos deixamos muitas vezes nos levar pela grande fartura de informações que nos chegam e por descuido ou mesmo perda do nosso senso jornalístico nos deixamos levar por notícias ou informações que podem parecer corretas e procedentes e deixamos de lado o principio do jornalismo, a investigação e apuração dos fatos. Algo que cabe a nós, é nossa missão transmitir a verdade seja ela qual for, doa o que nos doer e a quem doer, esse é o legado do jornalista, portar a verdade e a informação para que seja feita a verdadeira e justa justiça.

O que cabe a mídia é informar a população sobre os fatos, buscando um prisma mais neutro possível, afim de não ser usado como ferramenta de manipulação e controle da opinião pública, algo que temos visto ocorrer através de importantes meios de comunicação que tem se colocado deste ou daquele lado nos mais variados campos. 

Muitos meios de comunicação hoje tem se corrompido, tem deixado esse poder que possui lhes subir a cabeça e os torna tão corruptíveis como corruptores. É hora de repensarmos o que é a nossa mídia, quem somos nós e qual a nossa missão real, escolher entre ser herói ou vilão, isso mesmo!

Nós do GBN não somos hipócritas e possuímos nossa opinião formada sobre o caso político brasileiro e muitos outros campos aos quais cobrimos e acompanhamos, no entanto nos eximimos de expor nossa colocação afim de não nos tornamos uma fonte de manipulação, uma vez que o intuito de nosso trabalho é abrir os horizontes para que nossos leitores tenham a liberdade e a capacidade de discernir e se colocar diante dos fatos definindo uma posição de acordo com seus valores e caráter diante de fatos verdadeiros. 

Diante das convulsões que tomam o governo e a ebulição do processo de impeachment e a nova fase da crise política que se instaurou no país, nos limitamos a manter o leitor informado a respeito do que acontece aqui dentro de nosso país e no mundo, estando sempre munidos de esperança de que esta crise seja superada e a governabilidade seja restaurada e com ela nossa economia e imagem no exterior. Estamos ao lado de nosso povo e defendemos nossa pátria o Brasil, independente de bandeiras ideologicas ou partidarismos, nosso foco é nossa nação, algo que deveria ser o foco de todos os nossos representantes eleitos e que estão hoje gerindo nosso governo em suas diversas esferas do poder público, esperamos que um dia nossos representantes tenham consciência de seu dever e vejam o bem estar do brasileiro e o desenvolvimento de nossa nação como sua missão. Assim como esperamos que toda sociedade faça uma reflexão, pare e analise porque existe corrupção? Quem faz o corrupto? O mau caráter e o corruptor.  

Aos nossos colegas jornalistas pedimos mais seriedade e compromisso com nossa missão de levar a informação e notícias ao nosso público de maneira clara, transparente, séria e insípida de tendencias ou posições pre-definidas, não vendamos ideias, mas a capacidade de gerá-las, não vendamos pensamentos, mas a faculdade de pensar.

Como disse MalcomX : "Se você não for cuidadoso, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas e amar as pessoas que estão oprimindo". Portanto avalie bem o que lhe vendem através da propaganda incutida nas notícias e cuidado com as verdades que estão nos fazendo engolir. Nem tudo é o que apregoam, bem como nem todo inocente realmente é, toda corrupção tem um rastro sujo e fétido que começa em nossas casas e escolas e tomam ruas, cidades e governos, a limpeza começa por nós.

Por: Angelo D. Nicolaci - editor do GBN é especialista em assuntos correlatos a defesa e geopolítica, graduando em relações internacionais pela UCAM. Especialista em Defesa, geopolítica do Oriente Médio, Leste Europeu e Rússia, possui domínio da história contemporânea com enfase em conflitos e guerras modernas. 

0 comentários:

Postar um comentário