quarta-feira, 13 de maio de 2015

Aliança militar entre Moscou e Pequim preocupa o Ocidente


O início das manobras navais conjuntas de China e Rússia em 2015 causa grande repercussão nos veículos internacionais, assim como muitos comentários de especialistas.

Os principais veículos ocidentais mostram-se preocupados com a aliança militar entre Moscou e Pequim contra um suposto "inimigo comum" que são os Estados Unidos e seu poderio indiscutível no Mediterrâneo.

Meios americanos e europeus avaliam que as manobras conjuntas de Rússia e China no Mediterrâneo são um sinal para os EUA e seus aliados. 

Os exercícios chamados Interação Marítima são executados desde 2012, mas até o ano passado eram realizados no Pacífico, perto das fronteiras russas e chineses — como forma de resposta ao poderio militar de Estados Unidos e Japão.

Desta vez, a parte ativa será no Mediterrâneo, onde se encontram permanentemente navios de guerra americanos e de outros países da OTAN. Fontes do Ministério da Defesa russo não negaram que a iniciativa de fazer os exercícios conjuntos no Mediterrâneo partiu da China.


Fonte: Sputnik News 

0 comentários:

Postar um comentário