terça-feira, 19 de maio de 2015

Moscou encerra transporte de armas da OTAN para o Afeganistão através do território russo

O acordo que permitia o trânsito de cargas militares da OTAN para o Afeganistão através da Rússia expirou, de acordo com um decreto publicado nesta segunda-feira (18) no site de informação administrativa do governo russo.

O documento estabelece que a chancelaria russa deve informar países estrangeiros e organizações internacionais a respeito da decisão. 

O transporte de carga militar não-letal para o Afeganistão através do território russo havia sido permitido por decreto governamental em 28 de março de 2008. A decisão, pensada como uma alternativa para as rotas de trânsito através do Paquistão, onde os comboios da OTAN estavam sendo frequentemente alvejados por ataques de militantes islâmicos, havia sido tomada de acordo com uma resolução do Conselho de Segurança da ONU aprovada em 20 de dezembro de 2001, que apelava aos países vizinhos do Afeganistão e a outros países-membros das Nações Unidas a prestarem a assistência necessária para a Força Internacional de Assistência para Segurança (ISAF, na sigla em inglês) – missão liderada pela OTAN no país centro-asiático. 


No entanto, o mandato da ISAF expirou em 31 de dezembro do ano passado, segundo a resolução do Conselho de Segurança da ONU aprovada em 10 de outubro de 2013.

"Nós não recebemos nenhum apelo da OTAN, dos países-membros da OTAN ou de países que participam da ISAF para continuar o trânsito de cargas", explicou o Ministério das Relações Exteriores da Rússia. "Neste contexto, o decreto governamental de 28 de março de 2008 foi considerado nulo e sem efeito", concluiu a chancelaria.


Em 6 de julho de 2009, durante uma visita do presidente norte-americano Barack Obama a Moscou, as duas partes também assinaram o Acordo de Trânsito Militar, cujo objetivo era regular a passagem de equipamentos e equipes militares dos EUA para o Afeganistão através do território russo. Nos termos do acordo, aeronaves de transporte militar pertencentes aos EUA podiam fazer pelo menos 4.500 voos por ano para o Afeganistão através do espaço aéreo russo.


Fonte: Sputnik News

0 comentários:

Postar um comentário