terça-feira, 19 de maio de 2015

Primeiro supersônico civil depois do Concorde já tem preço

Com capacidade para 11 passageiros, Aerion AS2 vai custar US$ 120 mi e deve voar acima da velocidade do som sobre os continentes

O primeiro avião supersônico civil a ser anunciado depois do fim das operações do Concorde já tem preço definido. Ele vai custar US$ 120 milhões. A Aerion Corporation anuncio que seu conselho de administração estabeleceu o valor de venda dos primeiros AS2. De acordo com a empresa, que tem parceria com a Airbus, os primeiros 50 clientes contarão com preço preferencial e benefícios adicionais para estabelecer um ponto de equilíbrio até o lançamento do avião. “Estamos encaminhando para um seleto grupo de usuários da aviação de negócios a proposta de voar mais rápido e fazer história ao reintroduzir voo civil supersônico”, informa Robert M. Bass, chairman da Aerion.

O AS2 será um avião com capacidade para até 11 passageiros, com aproximadamente 49 metros de comprimento e 21 metros de envergadura. Pelo projeto, um dos diferencias do modelo é sua capacidade de voar supersônico sobre continentes sem causar estragos. Um dos maiores entraves operacionais do Concorde era a restrição de voar acima da velocidade do som em regiões habitadas, justamente por provocar um “estrondo sônico” capaz de causar uma série de danos tanto materiais quanto de saúde – o chamado “sonic boom” se dá quando uma aeronave ultrapassa a barreira da velocidade do som, que varia conforme a temperatura do ar, mas é de pelo menos 1.171 km/h. Segundo o fabricante, o AS2 conta com novo projeto de asas e aerodinâmica refinada, o que promete gerar considerável redução do arrasto, melhora do escoamento do fluxo de ar sobre suas superfícies e diminuição da onda de choque.

Em 2014, a Aerion fechou uma parceria com a Airbus, que se comprometeu a fornecer apoio com a campanha de certificação da aeronave em troca do acesso aos recentes estudos que reduzem o “boom sônico”. Mais recentemente, a Aerion anunciou que Ernie Edwards, ex-presidente da Embraer Executive Jets nos EUA, assumiu os cargos de vice-presidente sênior e  diretor comercial da empresa. “Esta é uma oportunidade de me envolver com algo que vai mudar a face da indústria no futuro e ajudar o AS2 a ser o primeiro jato de negócios supersônico”, afirmou Edwards. “O Aerion vai, simplesmente, revolucionar com o mundo vai viajar”. A previsão é que o AS2 entre em serviço em 2022.

Fonte: AeroMagazine

0 comentários:

Postar um comentário