segunda-feira, 18 de maio de 2015

HAL negocia licença para construir Ka-226T para Índia

Fontes em Delhi disseram que a HAL é susceptível a formar uma joint-venture com a Russian Helicopters para construir 200 helicópteros multifunção Kamov Ka-226T. Tal acordo eliminaria de imediato a concorrência RSH que encontra-se ainda na fase de RFI. 

O contrato entre a estatal indiana Hindustan Aeronautics Limited (HAL) para construir os 200 helicópteros multifunção Kamov Ka-226T esta estimado em cerca de 700 milhões de dólares segundo fontes oficiais.

Segundo as mesmas fonte a HAL estava em negociações avançadas com o Ministério da Defesa (MoD) para estabelecer a Joint com os russos e fabricar o Ka-226T no país.

A Índia pretende empregar o Ka-226T, uma variante que está em serviço apenas com a Força Aérea da Rússia, para reconhecimento armado, controle aéreo avançado, direcionando fogo de artilharia, inserção de tropas em missões especiais e operações MEDEVAC.

Estas conversações seguiram um relatório de viabilidade que a HAL apresentou ao Ministério da Defesa logo após o presidente russo, Vladimir Putin oferecer o Ka-226T para a Índia durante sua visita em dezembro 2014 à Nova Delhi.

O Ministério da Defesa aprovou o programa Ka-226T em 13 de maio como um substituto para o Chetak obsoleto (Aerospatiale Alouette III) e Cheetah (Aerospatiale SA-315B), que está sendo operado pelo corpo de aviação do Exército (AAC) e da Força Aérea da Índia ( IAF).

Fontes oficiais disseram que a importação direta de um "número limitado" de Ka-226T, possivelmente em torno de 50, era quase certa para atender as necessidades imediatas da AAC, uma vez que o negócio for assinado no âmbito de um Acordo Inter Governamental da IAF com a HAL, que daria inicio com uma taxa de produção anual de 30 a 40 Ka-226T, com conteúdo nacionalizado subindo para 30% três ou quatro anos após o começo de sua fabricação.

Autoridades disseram que um outro aspecto que motivou a decisão do Ministério da Defesa para optar pelo Ka-226T foi seu motor Turbomecca Arrius 2G1, que é fabricado pela Safran da França, com quem a HAL tem uma colaboração técnica de longa data.

Os dois desenvolveram conjuntamente os derivados Shakti do motor TM333-2B da Turbomecca. Estes podem equipar o Dhruv desenvolvido localmente e o helicóptero de combate leve e o Helicóptero Utilitário leve (LUH) que estão atualmente em desenvolvimento.

Fontes da indústria disseram que o envolvimento da Sun Group, uma empresa do setor privado com base nos arredores de Delhi no projeto Ka-226T também está sob consideração, já que tem ligações com a Russian Helicopters.

O Ka-226T, juntamente com a plataforma AS550 Fennec da Eurocopter, competiram em 2009 no programa Reconnaissance and Surveillance Helicopter (RSH),  a proposta do Ministério da Defesa era adquirir 197 plataformas. Este programa foi cancelado pela segunda vez  em agosto de 2014 na sequência de alegações de irregularidades no processo de seleção.

Enquanto isso, fontes disseram que HAL apesar da possível joint venture para produção do Ka-226T , iria abandonar o seu projeto LUH, que vem sendo desenvolvido desde 2009. O  LUH monomotor é esperado para fazer seu vôo de teste inicial em setembro, em antecipação de um contrato para 187 helicópteros.

No entanto, o programa previsto de uma joint levou a empresa indiana a construir localmente cerca de 400 plataformas sob a exigência do RSH é quase certo de ser cancelado, disseram autoridades.

Fonte: GBN com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário