quarta-feira, 20 de maio de 2015

Lançadores de SCUB Iemenitas podem ter sobrevivido à ataques

Um vídeo amador lançado em 17 de maio sugeriu que um dos transportadores lançadores  verticais (tels) para mísseis balísticos do tipo Scud do Iêmen sobreviveu a campanha aérea liderada pela Arábia audita, que começou em 25 de março e foi movido para o norte de sua base fora de Sanaa.

O vídeo mostrou um grande veículo que foi coberto com lona, transportado em uma carreta . Pode ser claramente identificado como o TEL-9P117 série baseada no MAZ-543 que é utilizada para disparar os mísseisR-17 (SS-1C 'Scud-B') e seus derivados, a plataforma de lançamento sobressai na parte traseira . O TEL não estava carregando um míssil e estava faltando pelo menos uma roda.

O vídeo foi filmado supostamente na província de Amran, possivelmente na estrada principal que liga a província de Sanaa à Sadah, que é o reduto do grupo Ansar Allah que a Arábia Saudita e seus aliados estão tentando derrotar.

O porta-voz da aliança árabe disse aos jornalistas em 19 de abril que a campanha aérea tinha eliminado a ameaça aos países vizinhos dos mísseis balísticos que tinham sido apreendidos pela Ansar Allah e unidades militares aliadas. No entanto, ele também sugeriu que alguns mísseis poderiam ter sido armazenados em áreas povoadas, tornando-os difíceis de ser atingidos.

O Iêmen do Sul adquiriu mísseis R-17 e teria seis TEL da União Soviética em algum momento antes de sua unificação com o norte em 1990 e usado muitos deles em Sanaa durante a guerra civil de 1994.

Os TEL foram capturados pelas forças vitoriosas do norte. Imagens de satélite mostram que eles foram transferidos para uma nova instalação ao norte de Sanaa.

Foi revelado em agosto de 2002 que o Iêmen havia adquirindo versões  norte-coreanas do R-17 quando os Estados Unidos impuseram sanções sobre a empresa norte-coreana envolvida na transferência. Em dezembro de 2002, um navio da Marinha espanhola interceptou um navio norte-coreano transportando 15 mísseis para o Iêmen, mas permitiu-lhe prosseguir.

Em dados divulgados pelo WikiLeaks, diplomatas dos EUA registrou autoridades iemenitas que reivindicam que esses mísseis foram adquiridos sob um contrato celebrado em 1994. Enquanto os iemenitas prometeram suspender toda a cooperação militar com a Coreia do Norte, disseram que teria de continuar de uma forma limitada com a assistência necessária para reparar os mísseis defeituosos que tinham sido entregues.

Uma maior cooperação foi notada em 2009, quando os diplomatas dos EUA disseram que uma empresa norte-coreana estava ajudando Iêmen a obter veículos MAZ-543 da Ucrânia que poderiam ser convertidos em TEL.

Fonte: GBN com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário