segunda-feira, 13 de abril de 2015

Suspensão de embargo de armas ao Irã exigirá esforços diplomáticos da Rússia

A suspensão do embargo de armas ao Irã vai exigir esforços diplomáticos sérios, disse o vice-ministro russo das Relações Exteriores Sergey Ryabkov  nesta segunda-feira.

"Há uma série de aspectos controversos que vão exigir sérios esforços diplomáticos e decisões políticas", disse Ryabkov. "Primeiro de tudo, estas são as perspectivas e condições de suspender o embargo de armas existentes contra o Irã", disse o vice-chanceler observou.

A Federação Russa exige a suspensão do embargo de armas a Teerã como o primeiro passo depois de fechar um acordo sobre o programa nuclear do Irã, segundo Ryabkov.

Uma nova imposição de sanções ao Irã em caso de interrupção do acordo nuclear só é possível por uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, disse Ryabkov. "As perguntas permanecem sobre mecanismos de reaplicação das sanções existentes e tomar decisões neste domínio, se por algum motivo o acordo for interrompido", disse Ryabkov. "A possível reimposição de sanções é inaceitável com algumas medidas automáticas, deve ser possível apenas através de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU", observou ele.

"Eu defendi durante todo o processo de negociações que continuar a fazê-lo é inadmissível e viola o direito internacional, o papel e autoridade do Conselho de Segurança da ONU, a prática de regimes de funcionamento da não-proliferação nuclear e de controle de exportação, bem como as atividades de monitoramento da AIEA [Agência Internacional de Energia Atômica] ", disse o vice-chanceler.

Sanções contra o Irã

A partir de 2006, o Conselho de Segurança da ONU adotou oito resoluções sobre o programa nuclear iraniano. As resoluções foram impostos embargoo sobre armas e tecnologias nucleares a Teerã, proibiu atividades ligadas ao desenvolvimento de mísseis balísticos, indivíduos e organizações por congelamento de bens e restringir viagens. O Irã tem repetidamente solicitado o cancelamento destas e de outras sanções impostas unilateralmente pelos EUA e outros países.

Acordo sobre o programa nuclear do Irã

Em 2 de abril, o Irã e o grupo 5 + 1  (EUA, Reino Unido, China, França e Alemanha + Rússia) chegaram a um acordo inovador em Lausanne na Suíça sobre a restrição do programa nuclear de Teerã, em troca da suspensão gradual das sanções. O prazo para a coordenação do acordo final é 30 de junho.

Segundo o acordo, o Irã não vai enriquecer urânio superior a 3,67% para os próximos 15 anos. Teerã também irá reduzir seu estoque de urânio pouco enriquecido de cerca de 10 toneladas. O Irã concordou em não criar novas instalações para o enriquecimento de urânio nos próximos 15 anos, e prometeu não reprocessar o combustível nuclear irradiado e realizar pesquisas nesta esfera.

Fonte: GBN com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário