quinta-feira, 23 de abril de 2015

B-1B Lancer volta a cena de dissuasão nuclear nos EUA

O bombardeiro supersônico B-1B Lancer, símbolo da dissuasão nuclear aérea americana durante a "Guerra Fria", em breve estará de volta portando ogivas nucleares.

O Pentágono decidiu transferir o Comando de Combate Aéreo (ACC) para o Comando da Força Aérea de Ataque Global (AFGSC) os bombardeiro supersônicos B-1B Lancer , símbolo da "guerra fria", que voltará a ser equipado com ogivas nucleares , segundo a USAF.

"É parte do realinhamento que vai reunir sob um comando único todos os três tipos de bombardeiros estratégicos existentes e sendo criada uma unidade de bombardeiros de longo alcance, seguindo o programa LRS-B (Long Range Strike-B)", disse a secretária da Força Aérea dos EUA, Deborah Lee Jones.

Assim, 63 aeronaves B-1 e 7.000 funcionários serão transferidos do ACC ao AFGSC no "realinhamento", que deverá ser concluído até 01 de outubro.

Vale lembrar que os bombardeiros B-1B foram projetados na década de 1970, após sua retirada da aviação estratégica no início dos anos 90, eles foram usados ​​para apoiar as tropas terrestres durante as operações nos Balcãs, Iraque e Afeganistão.

O Comando Aéreo Estratégico (SAC) da Força Aérea dos Estados Unidos, era responsável pela dissuasão nuclear aérea americana durante a "Guerra Fria", tendo sido dissolvido em 1992, após o colapso do Pacto de Varsóvia. O Comando de Ataque Global da Força Aérea passou a incluir todas as forças de longo alcance da USAF, convencionais ou nucleares.

Fonte: GBN com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário