segunda-feira, 6 de abril de 2015

Grande Colisor de Hádrons é religado pela 1a vez desde 2013

O Grande Colisor de Hádrons (LHC) foi religado, com prótons circulando no túnel da máquina pela primeira vez desde 2013.
O LCH permitiu a detecção do Bóson de Higgs, chamada de "partícula de Deus", uma partícula subatômica considerada uma das matérias-primas básicas da criação do Universo.
Agora, físicos esperam que novas descobertas possam representar a maior revolução na física desde as teorias da relatividade de Einstein.
Em breve, feixes de partículas viajarão em ambas as direções, dentro de tubos paralelos, um pouco abaixo da velocidade da luz.
O túnel da máquina tem 27km. Inicialmente, os prótons serão injetados com uma energia relativamente baixa e colisões reais não serão realizadas por pelo menos mais um mês.
Mas engenheiros esperam aumentar gradualmente a energia dos feixes para 13 trilhões de elétron-volts, quase o dobro de energia que o colisor alcançou durante sua primeira execução.
"É fantástico vê-lo indo tão bem depois de dois anos e uma grande reformulação do LHC", disse Rolf Heuer, diretor-geral do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern), a organização que controla o colisor.

O gigantesco acelerador de partículas batizado de Grande Colisor de Hádrons (LHC), o maior e mais complexo instrumento científico já construído,
Segundo os cientistas, dois feixes de prótons já estão circuladndo em direções opostas dentro do equipamento.
Se tudo correr como planejado, a equipe de cientistas poderá aumentar a energia do colisor durante o final de semana e atingir níveis jamais registrados.
"É formidável ver circular novamente os feixes no LHC", disse o diretor-geral do CERN, Rolf Heuer.
"Mas ainda há uma longa estrada a percorrer, mas este grande passo dado hoje nos coloca no caminho".
Big Bang
O acelerador, cujo custo é estimado em US$8 bilhões, começou a operar em setembro de 2008 na fronteira franco-suíça. Mas o aparelho apresentou um problema de vazamento e teve que ser novamente aquecido para possibilitar o conserto.
O LHC foi projetado para atirar partículas de prótons umas contra as outras quase à velocidade da luz. A liberação maciça de energia causada pelo choque das partículas simularia as condições após a explosão que deu origem ao universo.
No experimento realizado em 19 de setembro de 2008, os engenheiros circularam partículas de prótons dentro de um túnel de 27 quilômetros de circunferência que abriga o LHC.
Após o sucesso dessa primeira parte, o próximo passo será projetar outras partículas na direção oposta para que possam colidir, recriando as condições que existiam no universo imediatamente após o Big Bang.
Fonte: BBC Brasil

0 comentários:

Postar um comentário