domingo, 8 de setembro de 2019

Turquia e EUA estabelecem "zona segura" no Norte da Síria

A Turquia concluirá em poucas semanas a formação de uma zona segura no leste do rio Eufrates, no norte da Síria, disse o presidente turco neste sábado (7).
"Agora há o leste do Eufrates em nossa agenda. Espero que daqui a algumas semanas, de um jeito ou de outro, mas que com certeza possamos resolver o problema", disse Recep Tayyip Erdogan.
As patrulhas conjuntas turco-americanas devem operar na zona segura planejada no norte da Síria, começando este domingo (8), segundo o ministro da Defesa nacional da Turquia.
As autoridades militares turcas e norte-americanas chegaram a um acordo em 7 de agosto de que uma zona segura no norte da Síria servirá como um "corredor da paz" para os sírios deslocados que desejam voltar para casa e que deverá ser criado um Centro de Operações Conjuntas na Turquia para coordenar suas operações.
Erdogan disse que faria uma visita aos EUA depois de 22 de setembro e participaria da reunião da Assembléia Geral da ONU e "provavelmente" se reuniria separadamente com o presidente dos EUA, Donald Trump, e discutiria "pessoalmente" os passos a serem seguidos. 
"Como o que eles fazem não corresponde ao que dizem, precisamos resolver isso", disse Erdogan, acrescentando que é inaceitável para a Turquia que os EUA treinem as organizações terroristas YPG / PYD no norte da Síria.
Ele também enfatizou que a Turquia não permanecerá em silêncio com mais de 30.000 caminhões carregados de armas, equipamentos e munições enviados pelos EUA para a região norte da Síria [para o PKK / YPG], já que a Turquia é o único país da região com quem lutar.
O YPG é o ramo sírio do grupo terrorista PKK, responsável pelas mortes de quase 40.000 pessoas na Turquia, incluindo muitas crianças, mulheres e bebês, há mais de 30 anos.

Zona Segura
Acordo de refugiados com a UE

Erdogan disse que, se a UE desonrar a promessa de apoio à Turquia em relação aos refugiados, a Turquia não tem outro caminho senão "abrir suas portas" para permitir que refugiados sírios cruzem para Europa.
"Na quinta-feira (5), deixamos claro para o mundo inteiro, especialmente a Europa, que nunca iremos suportar sozinhos os problemas que surgem em Idlib na Síria", disse Erdogan.
O presidente também reiterou que a Turquia até agora gastou cerca de 40 bilhões com refugiados, enquanto o apoio da UE à Turquia foi de apenas cerca de 3,34 bilhões de dólares.
"Então, como a Turquia pode suportar o fardo dos 4 milhões de refugiados?" ele perguntou.
Erdogan enfatizou que a Turquia planeja instalar pelo menos 1 milhão de pessoas na zona segura após a conclusão das obras.
O acordo de 2016 sobre refugiados com a UE teve como objetivo desencorajar a migração irregular através do Mar Egeu, adotando medidas mais rigorosas contra traficantes de seres humanos e melhorando as condições dos 3 milhões - agora 3,6 milhões - de refugiados sírios na Turquia. A Turquia reclamou que a UE falhou em defender seu lado do acordo, incluindo milhões de euros em ajuda aos refugiados sírios.
A UE havia prometido ajuda de 6,6 bilhões para melhorar as condições de vida dos refugiados sírios na Turquia, mas apenas 2,45 bilhões de dólares foram desembolsados ​​até junho deste ano.
Atualmente, a Turquia hospeda cerca de 3,6 milhões de refugiados sírios, mais do que qualquer outro país hospeda refugiados no mundo.

GBN Defense News - A informação começa aqui
com Agência Anadolu
Share this article :

0 comentários:

Postar um comentário

 

GBN News - GeoPolítica Brasil Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger