sábado, 7 de setembro de 2019

Qual a diferença entre os calibres 5,56x45 OTAN e o .223Rem?


Há nos debates de defesa e sobre armamentos, um grande equívoco quando se fala sobre dois calibres especificamente, onde muitos insistem em dizer que os calibres 5,56x45mm OTAN e o .223 Remington são iguais. Tal afirmativa é comum no meio de pessoas que jamais tiveram em suas mãos armas destes calibres, e que tão pouco tiveram a oportunidade de disparar ou mesmo estudar um pouco sobre as características balísticas destes calibres. Preocupado com este grande equívoco que repetidamente vejo nos grupos de discussão dos quais participo, resolvi desmistificar tal fato, com isso derrubando alguns mitos e apresentando algumas verdades ocultas por trás destes dois calibres distintos.
Alguns insistem em afirmar que ambos são capazes de ser empregados nos mesmos armamentos, será isso verdade realmente? Ou será esse o motivo de vários vídeos apresentando falhas de operação com fuzis modernos como os IA2 da IMBEL?
Pessoal um fato que nós aqui do GBN Defense News gostamos de destacar, é que conhecimento é o ponto focal, assim buscamos trazer um material de qualidade ímpar, através e uma série de pesquisas e conversas com vários especialistas, especialmente de indústrias que produzem tais sistemas e materiais de defesa, bem como seus operadores, como resultado temos um conteúdo claro e embasado, transmitindo ao nosso público o conhecimento técnico e doutrinário de maneira simples e de fácil compreensão. Seguindo essa linha de trabalho vamos a seguir desvendar alguns mitos sobre os calibres 5,56x45mm OTAN e .223 Rem
O primeiro ponto que devo destacar, é que de forma ou maneira alguma, você deverá municiar um fuzil ou rifle com munição diferente daquela especificada, especialmente quando se tratar de um fuzil de assalto 5,56x45mm, tal ato pode levar a algumas situações perigosas ao empregar estes armamentos. Agora deve estar se perguntando: Porque não, se são “idênticos”?
Apesar de terem uma aparência “idêntica” se comparando levianamente os dois cartuchos com um simples olhar, existem sim diferenças que tornam estes calibres muito diferentes, com isso os tornando impossíveis de ser intercambiáveis entre suas armas.
As munições 5,56x45mm e .223Rem de acordo, respectivamente, com as especificações das normas militares (US MIL ou NATO) e civil (SAAMI), possuem estojos exatamente com as mesmas dimensões externas, já a espoleta iniciadora destas munições, apresentam diferentes espessuras. Assim, de acordo com as especificações de sensibilidade de espoleta de referidas normas, para o calibre .223Rem é comumente utilizada espoleta 5½, enquanto que para munições calibre 5,56x45mm se utiliza espoletas 7½.
Outra grande diferença entre os dois calibres elencados é a pressão proporcionada, geralmente medida em P.S.I, a qual é determinada por vários fatores, os quais nos limitaremos a citar o tipo de carga propelente. Fugindo um pouco dos termos e dados técnicos, tendo em vista no objetivo de informar da maneira mais clara possível, tal diferença entre ambos é claramente exposta pelo fato do pico máximo de pressão do 5,56x45mm atingir 60,000 P.S.I, sendo este um calibre de emprego militar, enquanto o .223 Rem atinge um pico máximo de 55,000 P.S.I. Essa é uma das diferenças e a qual apresento aqui a grosso modo.

Outra diferença que temos de elencar aqui neste artigo, é o espaço entre o início do raiamento no cano e o fim da câmara, conhecido como “Leade”. Esta característica no raiamento dos armamentos que empregam o 5,56x45mm é de 0,162″, enquanto nas armas que empregam o .223 Rem é de apenas 0,085, metade do encontrado nos armamentos que “calçam” 5,56x45mm OTAN, somando a essa diferença, temos ainda o ângulo do “Leade”. Essas informações levantam a questão: O que isso altera de significativo? Sendo diretos, essa diferença no “leade” e no seu ângulo, representa um aumento, tanto da pressão em geral no armamento, quanto os picos de pressão. Sendo este um dos fatores que levam, por exemplo, aos casos de “falha” do armamento.

Continuando nesse ponto, o que acontece se empregarmos munição 5,56x45mm OTAN em armamento .223 Rem?  Vale lembrar que o projétil .223 Rem tem contato quase que completo com o raiamento do cano, e os mesmos possuem "leade" curto e angulação diferente do projetado para o 5,56x45mm OTAN, criando uma situação perigosa ao se realizar disparos com munições 5,56x45mm OTAN. Como resultado o armamento pode literalmente “explodir” (desmontar) nas mãos do operador devido ao grande aumento da pressão interna gerada pelo emprego da munição errada, um grande risco ao operador. Quão perigoso e sério é disparar munições 5,56x45mm OTAN em armas .223 Rem? Perigoso o suficiente para que a SAAMI (Sporting Arms and Ammunition Manufacturers’ Institute), na seção de “Combinação de Armas e Munições não seguras” do livro “SAAMI Technical Correspondent’s Handbook“.

Agora, o que acontece ao disparar munições .223 Remington em um armamento 5,56x45mm OTAN? Vamos mais uma vez lembrar que o "leade" como já explicamos anteriormente, é uma característica importante do armamento, e no caso do 5,56x45mm OTAN o “leade” é longo, não é tão perigoso, o que pode vir a acontecer ao empregar a munição .223 Rem, dado que o mesmo sofrerá a perda de velocidade e de precisão nos disparos, mas como nos vídeos do IA2 que circulam as redes sociais, que durante testes empregaram erroneamente o .223 Rem ao invés do 5,56x45mm previsto, assistimos a “telha” saltando, ou seja, o problema não é o fuzil, mas sim a utilização de munição inapropriada, a qual não possui a mesma pressão e características.

Mas há armamentos que podem empregar determinadas munições .223 sendo eles originalmente 5,56x45mm OTAN. Agora com certeza vão perguntar, mas não disse acima que não se pode intercambiar as munições? Sim eu disse, mas há determinadas munições especiais no calibre .223 que podem ser empregados em determinados armamentos 5,56x45mm OTAN, nesse caso posso citar  o Fuzil de Assalto T-4 produzido pela brasileira Taurus. O qual permite o emprego de munição especial .223 da CBC específico para esse tipo de armamento, deixando claro que o armamento não pode disparar qualquer munição .223 Rem comum, apenas o .223 Rem CBC, a qual desde 2013, produz todos os tipos de munições no calibre .223Rem para comercialização no mercado brasileiro, carregadas utilizando espoleta 7½ padrão militar, ou seja, a mesma espoleta utilizada no carregamento das munições calibre 5,56x45mm. Apesar destas características, o mesmo não é recomendado para emprego nos fuzis IA2 da IMBEL.



Por Angelo Nicolaci - Jornalista, editor do GBN News, graduando em Relações Internacionais pela UCAM, especialista em geopolítica do oriente médio e leste europeu, especialista em assuntos de defesa e segurança

GBN Defense News - A informação começa aqui
Share this article :

0 comentários:

Postar um comentário

 

GBN News - GeoPolítica Brasil Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger