sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Marinha do Brasil estuda compra de LPD francês

Uma comissão de avaliação da Marinha do Brasil recomendou após avaliação a aquisição do LPD Siroco (L 9012) da classe Foudre junto a marinha francesa no final de janeiro, de acordo com informações.

A comissão brasileira inspecionou o LPD Siroco em Toulon, em meados de dezembro de 2014. O “Siroco” recente participou em novembro de 2014 de uma operação, incluíndo o transporte de tropas e suprimentos para apoiar os caças Mirage 2000 franceses Mirage em seu envio á Jordânia como parte das operações contra o Estado islâmico.

O “Siroco” foi contruido em dezembro de 1998 e é o segundo dos LPDs da classe Foudre, o primeiro dos quais foi vendido em 2011 para a marinha chilena. Autoridades chilenas haviam anunciado interesse na aquisição do “Siroco” desde 2013; no entanto, o novo governo do Chile anunciou no final de 2014 que já não possui interesse na aquisição de um segundo LPD para sua esquadra.

Possuindo uma área de cerca de 1536 m2, o “Siroco” possui  um heliporto ligeiramente maior que o navio irmão Foudre.Sendo uma ótima compra de oportunida para a Marinha do Brasil que tem buscado modernizar sua esquedra.

O “Siroco” está previsto para ser descomissionado da Marinha francesa, em Junho de 2015, na sequência da sua última missão, que será no Golfo da Guiné. O navio vai deixar a esquadra francesa sem substituição, como resultado do cancelamento da aquisição do quarto navio da classe Mistral em 2013.

Segundo os relatórios brasileiros o navio vai ser adquiridos por 80 milhões de euros, além de incluir serviços de manutenção e recondicionamento que serão  fornecidos pela DCNS.

A compra de oportunidade do Siroco é provável, especialmente porque o navio seria uma substituição muito necessária para o envelhecimento dos atuais meios existentes na esquadra brasileira, além de o Brasil apresentar alguns possíveis entraves econômicos que impossibilitem a construção de um novo LPD.

Segundo exposto no PRONAnf, a marinha requer dois navios de 12.500 toneladas com um grande hangar para helicópteros e capacidade para transportar até 490 homens. Com capacidade para operar até quatro helicópteros e capacidade de 450 homens o “Siroco” é o que mais se aproxima desses requisitos e estará disponível até o final de 2015 ou início de 2016.

Enquanto o PRONAnf especifica que a opção seria para a construção local de um projeto estrangeiro já em serviço; ele não descarta aquisições de navios de segunda mão.

Os requisitos de médio e longo prazo da MB definidos na Estratégia Nacional de Defesa (END) e para o programa de reequipamento da Marinha (PRM) são vastos e têm de ser acompanhadas por orçamentos adequados. A END especificamente favorece o fortalecimento da indústria naval local, mas o MB no passado recorreu a compras de oportunidade mais pragmáticas, especialmente para navios de grande porte. Por exemplo, em 2008 a Marinha comprou o Garcia D'Avila (ex-Sir Galahad) e Almirante Saboia (ex-Sir Bedivere)navios  tanque e de desembarque que foram adquiridos junto a Royal Fleet Auxiliary somando  valor de 47 milhões de dólares.


Mas é bom a Marinha do Brasil se apressar, pois há interesse de outras marinhas como a Portuguesa na aquisição deste navio. 

Fonte: GBN GeoPolítica Brasil com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário