sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Chefe militar da OTAN Emite avisos sobre Segurança no Mar Negro

A anexação russa da Crimeia transformou a situação de segurança de navios e aviões da OTAN no mar Negro, segundo anunciou o comandante da Otan na última quarta-feira (25).

"A Crimeia foi transformada em alguns aspectos bastante significativos, como em sistemas de armas", disse o Gen. Philip Breedlove a repórteres no Pentágono. "E esses sistemas de armas e sistemas de defesa aérea são capazes de atingir quase metade do Mar Negro, tornaram a Crimeia uma grande plataforma para a projeção de poder nessa área."

Breedlove fez seus comentários em um dia em que as forças americanas e russas realizaram demonstrações de força a apenas quilômetros de distância, em lados opostos da fronteira da Estónia.

Elementos do Segundo Regimento de Cavalaria do Exército os EUA dirigiram veículos Stryker pelas ruas de Nava na Estónia, cidade na fronteira com a Rússia, como parte de um desfile militar para marcar o Dia da Independência da Estónia, enquanto, ao mesmo tempo 2.000 páraquedistas russos conduziam exercícios alguns quilometros além da fronteira.

A unidade norte-americana encontra-se na Estónia para realizar uma série de exercícios militares com as tropas da Estónia.

A OTAN tem intensificado a sua presença na Europa Oriental nos últimos meses para amenizar a tensão deseus aliados em relação a fronteira com a Rússia, que tem acompanhado as incursões russas na Ucrânia.

Testemunhando perante o Comitê da Câmara, Breedlove disse : "...na configuração atual eu não acho que as forças ucranianas podem parar um avanço russo no leste da Ucrânia ... e na medida em que nós podemos fornecer ajuda, eu não tenho certeza de que eles poderiam parar um avanço russo no leste da Ucrânia, mesmo que nós fornecessemos ajuda. "

No Pentágono, Breedlove disse que Moscou enviou mais de 1.000 peças de equipamento militar russo para os separatistas ucranianos e as forças russas lutam na Ucrânia, incluindo MBT’s, veículos blindados, peças de artilharia pesada e outros veículos e equipamentos militares. E ainda, que poderia ficar pior, disse.

Em 26 de fevereiro, o governo ucraniano começou a retirar peças de artilharia pesada da linha de frente, como parte do acordo de cessar-fogo forjado no início deste mês entre os separatistas e o governo de Kiev.

Embora recusando-se a indicar se esta ou não favorável a armar as forças ucranianas com armamento mais letal, Breedlove disse que ele estava convencido de que os EUA e a OTAN precisam de continuar a desenvolver planos para coordenar táticas diplomáticas, militares e econômicas mais eficazes para diminuir as ambições do presidente russo, Putin, na região.

"Nós não queremos uma guerra de grandes proporções na Ucrânia", disse. "Temos de encontrar uma solução diplomática e política. O que está claro é que não está ficando melhor" com a presente estratégia.

Os soldados do exército dos EUA vão implantar a oeste da Ucrânia em breve locais de treinamento, e Washington também começou a enviar mais equipamento militar pesado para o governo de Kiev. 

Em janeiro, os EUA entregaram o primeiro protótipo de um veículo blindado para uso com a guarda de fronteira ucraniana, nomeado "Kozak", de acordo com a Embaixada dos Estados Unidos.


Segundo postado em um site de contratos do governo dos EUA, o custo unitário do veículo é de cerca de 189 mil dólares. O veículo é construído sobre um chassi fabricado pela empresa italiana Iveco e possui um casco blindado em forma de V para ajudar a proteger contra as minas e bombas de beira de estrada. 

A embaixada disse que até o momento, os Estados Unidos enviaram dezenas de caminhonetes blindadas e vans para o Serviço de Guarda de Fronteira Ucraniano. O “Kozak”  é o maior e oferece um nível de proteção mais elevado."

Fonte: GBN GeoPolítica Brasil com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário