quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Hollande e Merkel tentam acordo para crise na Ucrânia

O presidente francês, François Hollande, e a chanceler alemã, Angela Merkel, anunciaram uma visita surpresa nesta quinta-feira (5) à capital ucraniana, Kiev, para apresentar uma proposta de paz aos conflitos no leste do país com rebeldes separatistas pró-russos.
De acordo com fontes locais, a reunião em Kiev deve ocorrer no período da tarde. Em seguida, Hollande e Merkel seguirão viagem a Moscou, na Rússia. “Diante dos episódios de violência dos últimos dias, a chanceler e o presidente reforçaram seus esforços, colocados em prática há meses, por uma conciliação pacífica do conflito no leste da Ucrânia”, informou o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert.
Por sua vez, Hollande destacou que “a iniciativa de ir a Kiev foi tomada não para dialogar, mas sim, para encontrar um acordo que seja bom para ambas as partes”. “Estamos presenciando uma guerra, a qual não pode ser total”, criticou o mandatário. De acordo com Hollande, a França e a Alemanha resolveram participar da negociação por motivos diferentes. “A Alemanha tem interesses econômicos importantes no leste da Europa e na Rússia. Já a França é uma grande nação europeia, com ligações históricas, políticas”, pontuou. “Existe uma ligação entre a França e a Alemanha. Quando estão unidos, isso pesa não somente para a Europa, mas para o mundo todo”, comentou.
Já o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, que também está em visita à Ucrânia, disse que Washington “não fechará os olhos diante dos tanques russos em territórios ucranianos”, mas que está empenhado em uma solução diplomática. A crise na Ucrânia começou no fim de 2013. Os confrontos no leste do país, no entanto, se iniciaram em fevereiro de 2014, quando rebeldes pró-Rússia colocaram em prática um plano de separação do território ucraniano.
Fonte: ANSA

0 comentários:

Postar um comentário