domingo, 24 de janeiro de 2010

Índia ainda ira demorar na escolha de novo caça


O caça francês Rafale compete com outros cinco aviões na corrida pela maior licitação militar da história da Índia, para a compra de 126 caças que serão usados pela Força Aérea do país. O valor da licitação é de US$ 10,5 bilhões, segundo o Ministério da Defesa. Esse valor inclui não só os 126 aviões, mas também treinamento de pilotos, total transferência de tecnologia, e equipamentos bélicos dos aviões. A concorrência tem previsão de ser finalizada no fim de 2011 ou até meados de 2012.

No Brasil, o Rafale disputa com mais dois caças, o Gripen, da sueca Saab, e o F/A-18, da americana Boeing, a concorrência aberta pelo Ministério da Defesa. A proposta brasileira é comprar 36 caças – por um custo total que poderia chegar a US$ 5 bilhões, mas não foi oficialmente divulgado. O Rafale é o favorito do Planalto , mas o relatório da FAB dava preferência ao caça sueco .

Na Índia, o preço específico de cada aeronave das seis concorrentes – incluindo a francesa Dassault que fabrica o Rafale – não foi divulgado até agora. O preço de cada avião será conhecida quando começar a fase da coleta de preços, explicou uma fonte da Força Aérea Indiana.

Um dos capítulos mais importantes da maior licitação de Defesa da história indiana é o da total transferência de tecnologia. Pelos termos da licitação, a Índia vai receber os primeiros 18 jatos feitos no país-sede da empresa vencedora. Os 108 caças restantes serão totalmente fabricados por uma empresa indiana na Índia, através de uma licença dada pela vencedora. Assim como as outros concorrentes, a Dassault concordou com a cláusula de transferência total de tecnologia, condição obrigatória da Força Aérea Indiana.

Em licitações superiores a US$ 70 milhões, o governo indiano inclui a cláusula obrigatória segundo a qual a empresa vencedora deve investir pelo menos 30% do valor do contrato na indústria de defesa da Índia. Além do francês Rafale, concorrem a essa licitação os americanos F/A-18, e F-16; o russo MIG 35; o sueco Gripen; e o Eurofighter Typhoon (de um consórcio britânico, alemão, espanhol e italiano). Em abril do ano passado, a mídia indiana divulgou a notícia de que o Rafale teria sido excluído da licitação por não preencher todos os requisitos técnicos exigidos. Mas a notícia foi depois desmentida oficialmente pela Força Aérea.

Aeronaves são levadas ao extremo nos testes
A Índia divulgou o chamado Requerimento de Propostas para a compra dos 126 jatos em agosto de 2007 para as seis companhias que submeteram suas ofertas até abril de 2008. A licitação é dividida em duas partes: uma técnica e uma comercial.

Os testes dos seis jatos concorrentes começaram em julho do ano passado. Os testes são longos, complexos e feitos em condições climáticas extremas: testes em condição de humidade (em Bangalore); de extremo calor (no deserto de Jaisalmer, no estado do Rajastão); e de extremo frio, em Leh, na região do Himalaia indiano, extremo norte do país. A concorrência será aberta e comparada depois da escolha de três caças favoritos, após os testes. A previsão é que o processo termine em um ano e meio pelo menos.

Fonte: O Globo via poder aereo
Share this article :

1 comentários:

  1. Rafale a été proposé pour le prix en vigueur France
    50 millions €
    ne compare pas le prix final et le nombre d'avions, mais de comparer le contrat.
    Si vous ne comprenez pas ce que votre président de prendre l'avion français, il est pathétique.
    Saab suédois ou ont OWM leurs armes? (il est l'arme des Etats-Unis)
    La France ne peut donne tout et le Brésil peuvent faire leurs propres armes dans l'avenir, on construire avion très bien et le vendre sans aucune restriction.
    aujourd'hui à tout le monde Brésil voir seulement de l'argent mais dans le futur partenaire et en français qu'ils peuvent apporter, sous-marins, d'hélicoptères et d'avion sous-marin nucléaire, sans aucune aide dans le présent et tous les brésiliens avenir était heureux d'avoir une armée avec un équipement très bon faire avec brésilienne.
    États-Unis rendent tous les projets possibles pour le Rafale détruire parce qu'ils ne sont pas involved.corruption et de propagande contre le prix d'un Rafale, personne ne pourra l'acheter dans les «derniers 30 années (il était en service dans la force de l'air française en 2004 dans la version de base F1 )
    prob de Rafale a été son développement. un seul contributors.but l'Eurofighter d'aujourd'hui est plus cher avec un rafale.f-35 a été faite pour ce que le Rafale a été faite «missions multi», mais est prêt Rafale et F-35 ont un gros problème, c'est les avions pas exceptionnel (l'un des inférieurs F-22)

    Gripen NG n'est qu'un papier. Armée de l'air brésilienne ne peut pas dire qu'il était avec l'un plus cher, car cela est write.see Rafale F-35 Project (comme le Gripen NG) aujourd'hui, et consultez le retard de la conception, le prix du développement, le prix pour un même plan, avec la façon dont nombreux cotisant? et avec la «première» puissance dans le monde

    ResponderExcluir

 

GBN News - GeoPolítica Brasil Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger