quarta-feira, 6 de julho de 2016

França pressiona Índia em relação ao Rafale

A França, discretamente, insistiu que um acordo de 8,9 bilhões de dólares com a Índia seja assinado antes de um acordo de compensação de 50% para os caças Rafale seja finalizado, de acordo com uma fonte da embaixada francesa na Índia.

"Chegamos à conclusão de várias discussões com a organização estatal de Defesa Pesquisa e Desenvolvimento (DRDO) e outras agências para executar 30% da compensação em programas aeroespaciais militares em curso e futuros da Índia, mas o acordo de Offset não será finalizado até que o contrato final do Rafale seja assinado ", disse a fonte, que falou sob condição de anonimato.

Como parte do acordo para venda dos Rafale, a França tem um compromisso de compensação de 30% para os programas de pesquisa e desenvolvimento aeroespacial militar e 20% de compromisso para fabricação de componentes para os caças Rafale através de empresas nacionais da Índia.

As empresas de defesa francesas Safran, Thales, MBDA e Dassault também se comprometeram a fornecer radar, a vetorização de impulso e as tecnologias e materiais de mísseis e a eletrônica para o DRDO e empresas de defesa nacionais.

"Nós simplesmente não podemos fazer as negociações sobre o Rafale pública", disse um representante do Ministério de Defesa (MD), que também falou sob condição de anonimato.

Como parte das discussões, a França também concordou em dar o pontapé inicial na mal sucedida turbina Kaveri para a aeronave leve de combate Tejas.

Atualmente, a Kaveri não tem empuxo suficiente, eficiência e confiabilidade.

Uma turbina Kaveri atualizada com 90 kN de empuxo pode ser desenvolvida no prazo de dois anos com a cooperação francesa, de acordo com a fonte da embaixada francesa.

Atualmente, o Tejas é impulsionado por um motor General Electric F404.

"Temos discussões detalhadas com as equipes francesas para reviver [o] projeto do Kaveri e agora o MD pode atender uma posição final," de acordo com um cientista do DRDO, que falou sob condição de anonimato.

Enquanto isso, o Ministério da Defesa ainda não respondeu ao Ministério de Justiça sobre o Acordo Inter-Governamental (IGA) no contrato do Rafale, disse que um representante do MD.

O ministro da Defesa Manohar Parrikar tinha informado ao Parlamento em 3 de maio que o ministério federal havia revisto o IGA e que os resultados seriam levados em consideração ao finalizar o negócio.

E antes disso, o presidente da Dassault Eric Trappier disse em um relatório de 13 de abril que esperava que um contrato possa ser assinado "nos próximos dias", acrescentando: "Tenho grandes esperanças que o presente contrato poderá ser assinado com bastante rapidez."

O representante do MD disse que não há negociações sobre o acordo do Rafale entre a França e a Índia, e a próxima reunião está ainda a ser agendada.

Além dos 36 caças Rafale, a Índia também está comprando mísseis ar-ar Mica , mísseis ar-terra SCALP, mísseis BVR Meteor e munições guiadas com precisão a um custo de 1 bilhão de dólares para necessidades imediatas, a Índia espera obter a manutenção de cinco anos e suporte de engenharia, a um custo de 500 milhões de dólares.

GBN seu canal de informações e notícias
com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário