quinta-feira, 28 de julho de 2016

Boeing OC-135 de monitoramento faz pouso de emergência na Rússia

Uma aeronave de vigilância dos EUA foi forçada a fazer um pouso de emergência na Rússia na última quarta-feira (27), em consequência de um problema com o trem de pouso.

A porta-voz do Pentágono, tenente-coronel Michele Baldanza, disse que a aeronave inicialmente decolou de um aeroporto russo em Ulan Ude para começar um voo de observação, mas descobriu que o trem de pouso não recolheu completamente.

"A tripulação, em cooperação com uma tripulação de escolta russa, após terminar a missão de observação de acordo com o tratado desviaram para Khabarovsk afim de deixar a equipe de escolta e sair da Rússia usando a rota mais direta possível para facilitar a inspeção e reparo em uma base dos EUA no Japão ", disse Baldanza. "Khabarovsk é freqüentemente utilizada por ser uma base aérea classificada como "Céu Aberto", designada pela Rússia para fins de tratados, mas não é normalmente um "ponto de saída" para as missões do tratado.

Ela acrescentou que, devido a missão concluída , nenhuma imagem foi recolhida durante o voo. A aeronave já deixou Khabarovsk, localizado no sudeste da Rússia, a cerca de 77 km da fronteira com a China e seguido para a Base Aérea de Kadena no Japão para se submeter a manutenção, e irá retornar á Offutt Air Force Base em Nebraska uma vez que o problema seja corrigido. A aeronave foi identificada como um Boeing OC-135B.

Nos termos do Tratado Céus Abertos de 2002, 34 países, incluindo os EUA e a Rússia, concordam em permitir voos desarmados de vigilância sobre o seu território para fornecer informações sobre as forças militares. O objetivo do tratado, dizem os proponentes, é fornecer informações abertas que podem ser usados para confirmar a adesão aos tratados de controle de armas.

A preocupação com o tratado assinado em fevereiro, no entanto, quando a Rússia anunciou planos para adicionar um novo sensor eletro-óptico digital em suas aeronaves Tupolev Tu-154 usadas para os voos do acordo "Céu Aberto". Funcionários e legisladores do Pentágono soaram o alarme de que os novos sensores irão dar à Rússia uma vantagem informacional sobre o que pode ser recolhido pelo equipamento usado pelos EUA.

De acordo com um informe da Força Aérea, o avião está equipado com uma câmera vertical e duas câmeras de enquadramento KS-87E oblíquas para a fotografia de baixa altitude, e uma câmera panorâmica KA-91C, que analisa de lado a lado para fornecer uma ampla varredura para cada imagem a uma altura de aproximadamente 35.000 pés. Ele tem uma tripulação de até 35 militares.

GBN seu canal de informação e notícias
com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário